Em homenagem a Phelipe Andrès, Flávio Dino muda nome do Iema Tamancão

0
681

História das embarcações do Maranhão era objeto de estudo do engenheiro 

AQUILES EMIR

A morte do engenheiro Luiz Phelipe Andrès, na manhã deste domingo, causou grande comoção nos meios político e intelectual. Governador, prefeito da capital, presidente da Assembleia Legislativa, ex-governadora, presidente da Academia Maranhense de Letras e outros manifestaram pesar.

O governador Flávio Dino anunciou que em homenagem a Phelipe dará ao Iema Tamancão o seu nome, por ter sido esta sua maior dedicação nos últimos anos.

O Instituto de Ensino Tecnológico do Maranhão é voltado para formação de técnicos em construção naval. Esta era uma das maiores dedicações de Andrès nos últimos anos.

Luiz Phelipe nos deixou hoje. Prestou grandes serviços ao patrimônio histórico de São Luís. O IEMA Estaleiro-Escola passará a ter seu nome, mediante decreto que assinarei amanhã. Foi uma das grandes causas da sua vida”, escreveu Flávio Dino em suas redes sociais.

Já o prefeito Eduardo Braide destacou a revitalização do Centro Histórico de São Luís como principal contribuição ao Maranhão.

    • “Com profundo pesar recebi a notícia do falecimento de Luiz Phelipe Andrès, ocorrido neste domingo (05).
    • Mestre em Desenvolvimento Urbano, Luiz Phelipe Andrés foi um dos responsáveis pelo título de São Luís como Patrimônio Mundial. Também foi o coordenador do projeto de Revitalização do Centro Histórico de São Luís (Projeto Praia Grande/Reviver), e o relator do dossiê do Complexo Cultural do Bumba-meu-boi como Patrimônio Brasileiro pelo Iphan.
    • Foi idealizador e coordenador do Estaleiro Escola, projeto fundamental para a formação de aprendizes na tradição da construção naval em nosso Estado.
    • Perdemos hoje uma referência. Contudo, São Luís será eternamente grata a Luiz Phelipe Andrès por sua profunda dedicação, entusiasmo e zelo para com a nossa história, nossas tradições, com a nossa cultura.Neste momento de consternação, meus sentimentos aos familiares e amigos de Luiz Phelipe Andrès que deixa a todos nós, um legado incomparável.
    • (Eduardo Braide (Prefeito de São Luís)

O presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, lembrou em nota de pesar que Andrès tinha uma vida dedicada à valorização do patrimônio histórico de São Luís.

    • A Assembleia Legislativa do Maranhão manifesta profundo pesar pelo falecimento do engenheiro civil e professor Luiz Phelipe Andrés, no sábado (4), aos 72 anos, em São Luís.
    • Natural de Minas Gerais, Phelipe Andrés vivia no Maranhão desde 1997, onde construiu uma carreira dedicada ao patrimônio histórico da capital maranhense.
    • Era membro do Conselho Consultivo do IPHAN e, desde 2013, ocupava a cadeira 23 da Academia Maranhense de Letras. Além disso, era gestor do Estaleiro Escola.
    • Neste momento de dor, prestamos condolências aos seus familiares e amigos, rendendo nossas homenagens à sua trajetória e dedicação à cultura maranhense.
    • (Deputado Othelino Neto, presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão)

A ex-governadora Roseana Sarney, que teve longa convivência com ele, disse que estava muito triste com a notícia dessa morte:

    • Muito triste com o falecimento de Luiz Phelipe Andrès. Um dos responsáveis pela restauração do Centro Histórico de São Luís, ele foi o coordenador do projeto que nos deu o título de Patrimônio Mundial da Unesco em 1997. Fará uma falta enorme por sua inteligência e bondade.
    • (Roseana Sarney)

O presidente da Academia Maranhense de Letras, Carlos Gaspar, lamentou mais perda para a Casa de Antônio Lobo. Segundo ele, Andrès está imortalizado por tudo que fez por São Luís.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação