Flamengo empata com Grêmio, Palmeiras vence Athletico e Fluminense perde para o Bragantino

0
249

Não era semifinal de Libertadores e nem se podia falar em revanche, mas vencer o Flamengo nesta quarta-feira (19), no mesmo Maracanã onde viu ruir, diante do próprio Rubro-Negro, o sonho de ir outra vez à final da competição sul-americana, teria um gostinho especial para o torcedor do Grêmio. Na partida que inaugurou a quarta rodada do Campeonato Brasileiro, gaúchos e cariocas, porém, ficaram mesmo no 1 a 1.

Melhor para o time da casa, que estava atrás no placar até os 40 minutos da etapa final.

Esse foi o terceiro empate consecutivo do Tricolor, após o 1 a 1 com o Ceará há uma semana, e o 0 a 0 do último sábado (15) contra o Corinthians. Os gremistas foram a seis pontos e podem finalizar o dia fora da zona de classificação à Libertadores. O atual campeão nacional e da América, por sua vez, foi a quatro pontos. A equipe vinha de vitória sobre o Coritiba, por 1 a 0, também no sábado passado e de tropeços para Atlético-MG (0 a 1, em casa) e Atlético-GO (0 a 3).

No time titular do Flamengo, só dois jogadores (o zagueiro Léo Pereira e o lateral João Lucas) não estiveram em campo na vitória por 5 a 0 sobre o Tricolor, pela última Libertadores, em 23 de outubro do ano passado. O técnico também é outro: Domenèc Torrent. Já pelo Grêmio, sete remanescentes daquela derrota inciaram o duelo desta quarta: os zagueiros Pedro Geromel e Walter Kannemann, o lateral Bruno Cortez, os meias Matheus Henrique, Maicon e Alisson e o atacante Pepê (que, na ocasião, entrou em campo na etapa final).

Coube justamente a Pepê, ao final de um primeiro tempo de leve superioridade gremista, abrir o marcador. Aos 44 minutos, o atacante avançou às costas da zaga rubro-negra, recebeu de Alisson e soltou a bomba da pequena área, sem chances para o goleiro Diego Alves.

O Tricolor se aproveitou da dificuldade flamenguista de atuar com intensidade e controlou as ações no segundo tempo. Aos dois minutos, o atacante Diego Souza perdeu chance dentro da área, com liberdade. Já aos 34, o meia Isaque escapou da marcação do lateral Renê e do zagueiro Rodrigo Caio e mandou a bola perto da meta rubro-negra. Mas, aos 40 minutos, depois de um chute do atacante Vitinho explodir em Kannemann na área, o árbitro de vídeo indicou toque de mão do zagueiro. O atacante Gabriel Barbosa cobrou, deixando tudo igual e evitando novo tropeço em casa.

Ex salva Palmeiras – O termo lei do ex costumar ser usado quando um jogador balança as redes contra o antigo clube. Na vitória do Palmeiras sobre o Athletico-PR, por 1 a 0, esse personagem foi Raphael Veiga. Coube ao meia, campeão da Copa Sul-Americana de 2018 pelo Furacão, garantir os três pontos ao Verdão na Arena da Baixada. Para ser mais cruel com a equipe da casa, o gol saiu nos acréscimos.

partida em si foi muito fraca tecnicamente, com vários erros de passes. Das 16 finalizações ao longo dos 90 minutos, somente três, todas do Palmeiras, foram em direção ao gol. A última delas foi a que, enfim, venceu o goleiro Santos. Aos 48 minutos da etapa final, após um arremate do meia Zé Rafael rebater no zagueiro Thiago Heleno, Raphael Veiga ficou com a sobra e mandou para as redes.

Foi a primeira vitória do Verdão sobre uma equipe de Série A em 2020. Antes dos empates com Fluminense e Goiás, ambos por 1 a 1, o time já havia passado em branco (no tempo normal) diante de Santos, São Paulo, Corinthians e Red Bull Bragantino no Campeonato Paulista. O resultado levou o Palmeiras a cinco pontos em três jogos e atrapalhou o Athletico, que permanece com seis pontos, perdendo a chance de assumir a liderança.

Deu Braga – Em Bragança Paulista (SP), o Red Bull Bragantino superou o Fluminense por 2 a 1, ganhando pela primeira vez no retorno à Série A do Brasileiro, após 22 anos. O Massa Bruta, que vinha de derrota para o Bahia, pelo mesmo placar, foi a cinco pontos em quatro jogos, enquanto o Tricolor permaneceu com quatro pontos.

Pela equipe carioca, destaque para a volta do técnico Odair Hellmann, que ficou fora da vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, no domingo (16), por suspeita de contaminação pelo novo coronavírus (covid-19). O treinador testou positivo no último dia 9 de agosto, mas teve resultados negativos nos exames de quinta-feira da semana passada (13) e da última segunda-feira (17).

O Bragantino precisou de apenas um minuto para abrir o placar. O goleiro Muriel deu rebote após chute do volante Matheus Jesus, que o atacante Alerrandro aproveitou. Só que, no lance seguinte, o Tricolor chegou ao empate com Nenê. O meia recebeu passe de calcanhar do lateral Igor Julião e bateu no canto do goleiro Cleiton.

O primeiro tempo movimentado, com chances perdidas em ambos os lados, não se repetiu nos 45 minutos finais. Mesmo assim, o time paulista acabou premiado por ter sido mais ofensivo. Depois de assistência de Bruno Tubarão, o atacante Luis Phelipe recebeu com liberdade e definiu o marcador em Bragança.

(Agência Brasil)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação