Davi Alcolumbre cobra providências e pede ações do governo federal no Amapá

0
55

Presidente do Senado chamou Bolsonaro para ver de perto a situação no estado

Na tarde desta quinta-feira (19), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, reuniu-se com presidente da República, Jair Bolsonaro, para discutir soluções para a crise energética e seus efeitos sobre a população do Amapá, que vem sofrendo com o apagão. Na sequência, Davi encontrou-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou que há “ferramentas e saídas disponíveis” para ajudar o Amapá em decorrência da tragédia energética.

“A situação do Amapá é de calamidade. O estado vive uma tragédia, e é preciso uma ação do governo federal para mitigar os prejuízos da população. Há saídas e mecanismos para isso”, afirmou o ministro.

Ao presidente Bolsonaro, Davi fez um relato sobre as  dificuldades por que passam os amapaenses.”A situação do Amapá é dramática e as pessoas estão sofrendo. Expus ao presidente Bolsonaro a urgência de um auxílio extraordinário que possa recompor parte do prejuízo e dos estragos que a população vem amargando”, disse Davi.

O presidente do Senado chamou Bolsonaro para ver de perto a situação no Amapá. A data não está confirmada, mas a expectativa é de que o chefe do Executivo desembarque em Macapá ainda neste sábado (21).

No dia 3 de novembro, um transformador pegou fogo e deixou 14 das 16 cidades do estado sem luz. Dos outros dois equipamentos no local, um também acabou danificado e outro já estava inoperante. Com isso, o estado ficou mais de 80 horas sem energia elétrica. E até agora a situação não foi totalmente restabelecida, com a população tendo fornecimento de energia limitado, em sistema de rodízio.

Relato – Durante a sessão plenária desta quinta-feira, os senadores aprovaram um projeto que concede crédito na conta de luz aos amapaenses atingidos pelo apagão. Durante as discussões da matéria, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pediu a palavra e disse ver coisas “que jamais imaginaria ver”. “Pessoas correndo desesperadas por uma garrafa de água potável. Comerciantes tendo seu faturamento do último mês sendo desperdiçado”, disse o Senador.

Ele também comentou o afastamento provisório dos dirigentes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A decisão judicial atendeu um pedido feito pelo próprio senador.

“Eles sabiam que desde novembro do ano passado o transformador reserva estava inoperante. Não teve providência nenhuma, teve omissão. Eles não são parte da solução do problema, eles se tornaram o problema. Quem está resolvendo o problema são os heroicos trabalhadores das centrais elétricas do norte do Brasil, da Eletronorte e da Companhia de Eletricidade do Amapá, que merecem nossas homenagens”.

(Com informações da Agência Brasil e Agência Senado)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui