A difícil missão de Haddad: tirar mais de 11,8 milhões de votos de Bolsonaro para se eleger

0
685

AQUILES EMIR

Duas pesquisas sobre intenções de votos para presidente da República divulgadas nesta segunda-feira (15) mostram que o candidato do PT, Fernando Haddad, tem uma difícil missão nas próximas duas semanas: roubar mais de 23,5 milhões de votos de Jair Bolsonaro (PSL) para se eleger. Tanto no levanto da FSB, contratado pelo banco BTG Pactual, quanto no do Ibope, contratado pela Rede Globo e O Estado de São Paulo, a diferença é de 18% para o ex-capitão do Exército.

Considerando apenas os votos válidos, em que são excluído brancos, nulos e indecisos, Bolsonaro tem 59% das intenções de voto contra 41% de seu adversário, segundo as duas pesquisas. Como do cálculo são deixados de fora 11%, que seriam os que não manifestam voto em nenhum dos candidatos, isto significaria dizer que cerca de 131 milhões de brasileiros irão às urnas e com base na diferença, 23,5 milhões a mais tencionam votar em Bolsonaro. 

O eleitorado apto a votar em 2018 é de 147,3 milhões, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para chegar aos 50%, Haddad precisa de 9%, ou seja, cerca de 11,8 milhões de votos.

Na pesquisa encomendada pelo BTG, considerando as intenções de voto totais, Bolsonaro receberia 51%, Haddad, 35%. Os votos em branco e pessoas que não escolhem nenhum candidato somam 11%. Pelo levantamento do Ibope, na contagem geral, Bolsonaro venceria por 52% a 37%. Há ainda 9% dispostos a anular ou votar em branco, e 2% que não souberam responder.

A pesquisa, contratada pelo BTG Pactual, foi realizada nos dias 13 e 14 de outubro. As entrevistas foram realizadas por telefone com 2.000 eleitores nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 p.p. e o intervalo de confiança é de 95%. O registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-07950/2018.

Haddad tem difícil missão na reta final da campanha: superar diferença de 18%

O Ibope ouviu 2.506 pessoas em 176 municípios entre os dias 13 a 14 de outubro. A margem de erro é de 2,0 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o nº BR‐01112/2018

Rejeição – Não bastasse a larga vantagem do adversário, Haddad amarga outro problema: ele é mais rejeitado. Os que dizem não votar no petista de jeito nenhum são 53% de rejeição, enquanto 38% rejeitam Bolsonaro.

Já com relação a certeza de votos, os eleitores de Bolsonaro se mostram mais decididos: 54% dizem ter certeza em votar no PSL, enquanto 39% afirmam ter certeza de votar no PT.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação