A guerra fria está de volta, diz secretário-geral das Nações Unidas

0
451

O secretário-geral das Nações Unidos (ONU), António Guterres, advertiu o Conselho de Segurança da organização que as tensões no Oriente Médio representam uma ameaça à paz global e pediu às partes envolvidas que evitem a escalada militar iminente na Síria.

Em seu discurso, proferido nesta sexta-feira, Guterres disse que muitos conflitos no Oriente Médio mergulharam a região no caos que ameaça a paz e a segurança. No entanto, estes incluem não apenas conflitos regionais, como a divisão entre xiitas e sunitas, ou o conflito palestino-israelense, e também o confronto entre a Rússia e o Ocidente.

“A Guerra Fria está de volta”, disse Guterres.

“Os mecanismos e salvaguardas para lidar com os riscos de escalada que existiam no passado não parecem mais estar presentes”, disse ele.

Mas a situação na Síria representa “a mais séria ameaça à paz e segurança internacionais”, alertou o político.

“Na Síria, vemos confrontos e guerras indiretas envolvendo vários exércitos nacionais, vários grupos armados de oposição, muitas milícias nacionais e internacionais, combatentes estrangeiros de todo o mundo e várias organizações terroristas”, destacou.

Guterres lamentou o fracasso do Conselho de Segurança esta semana para emitir um mandato para investigar relatos de uso de armas químicas na Síria e ofereceu seu apoio à inspeção da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), atualmente em curso na cidade de Duma. Além disso, ele convocou os membros do Conselho para superar suas diferenças e começar a agir de acordo com sua posição.

“O aumento das tensões e a incapacidade de chegar a um compromisso no estabelecimento de um mecanismo de responsabilização ameaçam levar a uma escalada militar total”, alertou ele.

Prédio destruído em Douma, Ghouta Oriental, Síria

“Em meus contatos com vocês, especialmente com os membros permanentes do Conselho de Segurança, reiterei minha profunda preocupação com os riscos do impasse atual e sublinhei a necessidade de evitar que a situação saia do controle.”Durante toda a semana, os EUA e seus aliados estão decidindo se recorrem à força militar para retaliar o governo sírio pelo suposto ataque com armas químicas na cidade de Douma.

A Rússia, por outro lado, afirma que o incidente na localidade síria foi uma farsa e alega possuir “dados irrefutáveis” que confirmam a sua versão, como afirmou nesta sexta-feira o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

(Agência Sputnik com foto de Hasan Mohamed/APF)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação