Acusado de matar travesti é condenado a 16 anos de prisão pelo Júri Popular de Bacabal

48

Acusado e vítima teriam usado entorpecentes antes da briga 

O juiz Marcello Frazão Pereira, titular da 1ª Vara Criminal de Bacabal, presidiu na última semana duas sessões do Tribunal do Júri na unidade judicial. Na primeira, terça-feira (08), o réu foi José Ferreira de Souza, acusado de ter matado Jailson Feitosa, travesti conhecida pelo nome social Melissa.

O conselho de sentença decidiu pela culpabilidade de José, que recebeu a pena de 16 anos de reclusão, a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado. O crime ocorreu em 04 de maio de 2019 e teve grande repercussão na imprensa.

Destacou a denúncia deste caso que, na data citada, denunciado e vítima se encontraram em uma festa que acontecia na comunidade. Após conversarem, eles foram juntos, a convite de Melissa, para um local mais isolado na mata, próximo ao Ginásio Poliesportivo da Vila São João, com o intuito de usarem drogas.

Eles teriam usado entorpecentes e iniciaram uma discussão pois, segundo depoimento de José Ferreira, Melissa não aceitava o término do relacionamento que mantinham.

O denunciado relatou que, de dado momento, Melissa pegou uma faca e teria partido para cima dele, instante em que ele tomou a arma e desferiu vários golpes contra a vítima.

Indagado sobre a mão decepada da vítima, ele alegou não recordar sobre tal fato. O corpo de Melissa foi encontrado por populares no dia seguinte ao crime, sem roupas e com a mão direita decepada em cima do rosto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui