Adriano diz que Flávio Dino procurou José Sarney para fazer acordo

4
2057

AQUILES EMIR

O deputado Adriano Sarney (PV), que é líder da oposição na Assembleia Legislativa, garantiu nesta terça-feira (09) à noite, em entrevista aos jornalistas Diego Emir e Osvaldo Maia, no programa Passando a Limpo, na Nova FM (93.1), que o governador Flávio Dino (PCdoB) e o seu avô, o ex-presidente José Sarney (MDB), fizeram algum tipo de acordo político no encontro que tiveram em junho, mas não cabe a ele revelar o que os dois conversaram, até porque a ele não foi detalhado o teor da conversa.

De acordo com Adriano, foi o governador quem tomou a iniciativa para agendar o encontro. Estando em Brasília (DF), onde havia reuniões de governadores com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, ele ligou, pediu para ser recebido, e foi dirigindo o seu carro até a casa do ex-presidente, “onde tomou bênção”.

O deputado disse que fez questão de manifestar, pessoalmente, sua contrariedade ao avô por ter recebido o governador, e garantiu que isto em nada mudará seu comportamento no parlamento estadual.

Apesar de garantir que houve um acordo de cavalheiros, o deputado diz que não pode afirmar que os dois se aliaram politicamente para as próximas eleições, mas com certeza esse encontro teve alguma motivação política.

Para Adriano, o que mais o deixou chateado foi o fato de Flávio Dino ter sido eleito e reeleito apenas porque falava mal do seu avô, ofendia sua família e depois foi procurá-lo quando tinha algo a resolver e não podia fazer por seus próprios meios.

Apesar da contrariedade com o encontro, o deputado disse que compreende a atitude do avô, pois foi este espírito conciliador, de saber conversar com os diferentes, que fez dele um dos políticos mais importantes do país. “Ele conversa com Lula, com Dilma, com Bolsonaro….”. Justamente por isto, frisou, “eu nunca serei um Sarney, pois minhas posições são bem definidas”.

O deputado disse que torce para que sua família e o grupo do governador continuem delimitando seus espaços para que não haja surpresa na próxima eleição, mas garante que nunca fará acordo com Flávio Dino “nem com outros comunistas”.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

4 COMENTÁRIOS

  1. Flávio deve ter ido prestar condolências em vida ao Sir Ney em razão do seu breve passamento.
    Que os infernos o traguem.

    • No dia do jogo Flamengo X CSA, o jornalista Paulo Henrique Amorim, mandou uma mensagem ao presidente Bolsonaro por ter ido ao estádio. Ele cantarolou: “Uma vez Flamengo até morrer”, e concluiu sua mensagem: “breve”. Nesta quarta-feira, Paulo Henrique Amorim. Cuidado com as palavras!

  2. Flávio Dino recorreu ao Sarney foi para intervir na decisão do governo federal de federalizar o porto do Itaqui , pois ele sabe melhor do que ninguém as contas que terá que prestar com a justiça Federal sobre as pedaladas fiscais durante a sua gestão no coração financeiro do estado que é o porto do itaqui.

Comments are closed.