Aeronáutica e Ministério da Defesa acompanham investigação de prisão na Espanha de piloto que faria voo com Bolsonaro

0
583

A Aeronáutica e o Ministério da Defesa, em notas distribuías nesta quarta-feira (26), informaram que estão apurando a prisão de um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), dentre na terça-feira (25), pela Guarda Civil Espanhola no Aeroporto de Sevilla, com cerca de 38 quilos de cocaína. O oficial é piloto e faria o voo de reserva da comitiva presidencial, que seguiu para o Japão, onde o presidente Jair Bolsonaro participa da reunião do G-20.

Após a notícia da prisão do piloto, o Serviço de Segurança do presidente mudou a rota da viagem e em vez de uma escala na Espanha, o avião presidencial posou em Portugal. O piloto detido é o mesmo que teria feito uma viagem com Bolsonaro em fevereiro deste ano.

Segundo o jornal espanhol El País, Fontes da Guarda Civil disseram que a detecção da droga e a posterior detenção do militar ocorreram quando os membros da tripulação e suas bagagens passaram pelo controle alfandegário obrigatório após a chegada ao aeroporto de Sevilla. Na mala de mão do oficial, os agentes encontraram 37 tijolos de pouco mais de um quilo cada da droga.

O militar foi levado para o comando da Guarda Civil na capital andaluza. Nesta quarta-feira, o Tribunal de Instrução número 11 de Sevilha ordenou nesta quarta-feira a prisão provisória do militar, sem fiança. Inicialmente, ele está sendo investigado por um suposto crime contra a saúde pública.

O Ministério da Defesa disse em seu comunicado que “repudia” os atos do militar e que colaborará com as autoridades espanholas na investigação. No Twitter, Bolsonaro disse que pediu ao ministro da Defesa que preste “imediata colaboração” à polícia espanhola.

Nota da Aeronáutica

O Comando da Aeronáutica informa que um militar da Aeronáutica foi detido no aeroporto de Sevilha, Espanha, nesta terça-feira (25), por suposto envolvimento no transporte de entorpecentes em uma aeronave militar.

Os fatos estão sendo apurados e foi determinada a instauração do Inquérito Policial Militar (IPM). Demais informações dependem da conclusão do Inquérito.

O Comando da Aeronáutica reitera que repudia condutas dessa natureza, reforça o compromisso com o rigor das investigações e ressalta que dará prioridade na apuração e elucidação do caso, bem como colabora com as autoridades.

Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Nota do Ministério da Defesa:

O Ministério da Defesa informa que, nesta terça-feira (25), foi detido no aeroporto de Sevilha, Espanha, um militar da Aeronáutica por suspeita de envolvimento no transporte de substância entorpecente.

Os fatos estão sendo apurados e foi determinada a instauração do Inquérito Policial Militar (IPM).

O Ministério da Defesa e o Comando da Aeronáutica repudiam atos dessa natureza e darão prioridade para elucidação do caso, aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colaboram com as autoridades.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação