Maior feira do agronegócio do Maranhão será aberta nesta segunda-feira na cidade de Balsas

0
697
“Conectividade Cerrado, o Grande Celeiro”, ou seja uma reflexão sobre a importância de se valorizar uma das regiões que mais contribuem para produção de alimentos no país

Feira não é realizada desde 2019 por conta das medidas de enfrentamento da covid-19

Há dois anos sem ser realizada, será aberta nesta segunda-feira (16), às 19h, e prossegue até a próxima sexta (20), o Agrobalsas, maior evento do setor de agronegócios do Maranhão e um dos mais importantes do país. Para a versão deste ano, que é a 18ª, o tema é “Conectividade Cerrado, o Grande Celeiro”, ou seja uma reflexão sobre a importância de se valorizar uma das regiões que mais contribuem para produção de alimentos e a necessidade inovações para que os plantios sejam menos agressivos ao meio-ambiente.

O Cerrado maranhão já é cultivado com as mais altas tecnologias disponíveis no mercado nacional e internacional, e é isto que será mostrado nos cinco dias de exposição.

A feira é realizada na Fazenda Sol Nascente, no município de Balsas, no Sul do Maranhão. Trata-se de uma iniciativa da Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte (Fapcen) com o apoio do Governo Estado e Prefeitura Municipal de Balsas, tendo como patrocinadores os principais agentes financiadores do agronegócio e Porto Itaqui.

A última edição do Agrobalsas foi em 2019 e por conta das medidas para enfrentamento da pandemia de covid-19, principalmente no que se refere ao distanciamento social, as  edições de 2020 e 2021 foram canceladas.

A expectativa de bons negócios grandes marcas (fabricantes de veículos, máquinas e equipamentos) já garantiram sua participação, bem como instituições financeiras, entidades empresariais, produtores rurais, pecuaristas, educadores, estudantes, comercio varejistas, prestadores de serviços, dentre outros.

Vitrine – O Agrobalsas é uma vitrine de prospecção de desenvolvimento sustentável da região, com o que há de mais novo no cenário nacional e internacional, é onde produtores rurais, pecuaristas, educadores, estudantes, comércio e sociedade civil se reúnem na busca de informações e fechamento de grandes negócios.

Na retomada pós-pandemia dos grandes eventos de tecnologias dos agronegócios, o Agrobalsas se preparou para esta 18ª edição, a fim de confirmar sua importância como um dos maiores eventos rurais do Brasil.

Para que se tenha ideia da sua importância, da edição de 2018 para esta de 2022, o crescimento de expositores e previsão de negociações chegam a mais de 300%. Em 2018, o movimento na feira foi da ordem de pouco mais que R$ 1 bilhão. Este ano, tendo por base contratos de vendas que serão efetuados durante a feira por expositores de máquinas, implementos e veículos automotores, a previsão é que entre R$ 3,5 bilhões e R$ 4 bilhões movimentem os caixas dos expositores.

Proporcionalmente, um faturamento bem maior que muitas das grandes feiras já realizadas neste ano e da previsão para as próximas Brasil a fora.

Fazenda Sol Nascente é o palco do maior evento do agronegócio do Maranhão

O Agrobalsas trabalha sempre com um tema de motivação e promoção dos agronegócios no Maranhão, estado que tem a região sul como principal polo agrícola empresarial. Para este ano, conforme Gisela Introvini, superintendente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte “Irineu Alcides Bays” (Fapcen), entidade idealizadora e promotora do evento, o tema proposta e que está sendo trabalhado por meio de palestras e painéis

Retomada – A Fapcen, junto aos demais parceiros institucionais, pretende marcar um tempo de transição necessária, pós Covid19, bem como os constantes riscos ocasionados nesta safra pelas alterações climáticas que diminuíram significativamente tetos produtivos, além do momento conflitante que passamos ocasionados pelas desavenças entre países dos quais dependemos dos principais insumos para a produção de alimentos”, diz Gisela Introvini, superintendente da Fapcen.

Ainda conforme a executiva, diante do exposto, entende-se que a acelerada globalização do Planeta modifica cenários e exige dos setores produtivos constantes informações e tecnologias inovadoras, para possíveis mudanças de costumes que irão ocasionar o equilíbrio de todas as ações “a respeito do que somos, como fazemos e para onde queremos ir neste Cerrado produtivo”, aponta.

Estandes montados para a grande exposição que vai durar quatro dias

“O Agrobalsas busca responder a estes desafios trazidos pela palavra atualmente mais utilizada por todos – “sustentabilidade” -, conceito que já entendíamos e aplicávamos na pratica a partir do espalhar a soja com cultivares adaptadas às baixas altitudes, resultando na grande transformação social e econômica do Norte e Nordeste do Brasil”, enfatiza Introvine.

Além disto, ela lembra que há a rastreabilidade tão exigida por novos mercados. Tarefa bem feita pela certificação internacional RTRS, afirmando que agricultura sustentável se faz aqui. Neste quesito, chama às seguintes reflexões:

  • Como produzir mais e melhor no mesmo espaço físico para alcançar mercados dinâmicos, competitivos e rentáveis, com suas exigências sobre rastreabilidade?
  • Como contribuir com a segurança alimentar e o aumento crescente da população mundial, seguindo novos modelos que proponham mudanças de costumes sobre a forma mais eficiente de utilizar os recursos naturais dos biomas brasileiros?

“Acreditamos que estes desafios estão relacionados à complexidade da nossa região e somente serão enfrentados pela combinação de esforços, sinergia de todas as instituições, governos e empresas”, responde superintendente.

Paranaense, Gisele Introvine está há mais de 20 anos de Balsas, onde soma com os demais atores no desbravamento do Cerrado maranhense.

(Com informações do Feiras do Brasil)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação