Alexandre de Moraes determina prisão do ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Anderson Torres

27

Medida é referente a atos antidemocráticos

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta terça-feira (10) a prisão do ex-comandante da Polícia Militar do Distrito Federal coronel Fábio Augusto Vieira e do ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres. O ex-secretário foi também ministro da Justiça e Segurança Pública no governo de Jair Bolsonaro.Coronel Fábio Augusto Vieira era o responsável pela tropa que atuou durante os atos antidemocráticos neste domingo (08) contra o Congresso, o Palácio do Planalto e a Suprema Corte.

Vieira não está mais no comando da corporação. Ele foi exonerado ontem (9) pelo interventor nomeado para a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretar intervenção federal na segurança pública do DF e o afastamento do governador Ibaneis Rocha pelo prazo de 90 dias, determinado pelo ministro.

Na decisão, Moraes também determinou a prisão do ex-ministro da Justiça e ex-secretário de Segurança do DF Anderson Torres. Neste momento, viaturas da PF estão na casa dele em Brasília.

Não há confirmação se o ex-ministro está na residência. No início desta semana, Torres disse à imprensa que estava em férias nos Estados Unidos.

Título de Cidadão Maranhense concedido a Anderson Torres pode ser revogado na Assembleia Legislativa | Maranhão | G1
Anderson Torres (C) com os irmãos Glaubert Cutrim (E), deputado estadual, e Gil Cutrim, ex-deputado federal, ao receber título de Cidadão Maranhense

Título cassado – Anderson Torres foi distinguido em 2022 com o título de cidadão honorário do Maranhão, mas neste domingo (08), o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), protocolou, Projeto de Resolução Legislativa 001/23, revogando a Resolução Legislativa 1.098/22, que concedeu o Título de Cidadão Maranhense a Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal e ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro.

“Protocolei há pouco um Projeto de Resolução Legislativa que revoga o Título de Cidadão Maranhense concedido ao senhor Anderson Torres, exonerado hoje da secretaria de Segurança Pública do DF pela clara omissão nos atos terroristas”, disse Othelino

O chefe do Parlamento estadual garantiu ser uma medida justa e necessária diante da omissão de Torres em relação aos últimos acontecimentos em Brasília que levou à invasão do Congresso Nacional, do Supremo Tribunal Federal (STF) e da sede do Poder Executivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui