Alunos do Sesi conquistam 2º lugar em Festival de Robótica em Minas Gerais

0
922

A equipe de robótica Einstein Robot formada por seis alunos da Escola Sesi Anna Adelaide Bello, de São Luís conquistou no último sábado (18), em Minas Gerais, o segundo lugar geral da fase regional do Torneio Internacional de Robótica FLL (First Lego League) que aconteceu no campus do UniBH Buritis, na capital mineira.

Durante os dois dias de competição, os ludovicenses do time Einstein Robotic, competiram com outras 36 equipes formadas por alunos entre 9 e 16 anos de Minas Gerais e de outras partes do país e conquistaram além do título de 2º lugar geral na competição, uma vaga na disputa nacional, que acontece em março, em Brasília.

O Trófeu Champions Award, segundo lugar no geral da competição, é um prêmio dado pelos juízes da competição em reconhecimento às equipes que incorporam a experiência da FIRST LEGO League, e abraçam completamente os valores do torneio e, ao mesmo tempo em que conquistam excelência e inovação tanto no jogo, quanto no projeto.

O tema oficial desta temporada é o Animal Allies ou animais aliados. A ideia foi buscar soluções para que a relação entre homens e animais seja amistosa para ambos. Os alunos foram avaliados em quatro categorias: projeto de pesquisa sobre o tema da atual temporada; desafio do robô, no qual, na mesa de competição os robôs precisam executar missões de forma autônoma; Design, que envolve o desafio mecânico da criação dos robôs, estratégias, lógica, matemática e programação. Além de Core Values ou valores fundamentais, que avalia a capacidade de trabalhar em equipe dos competidores, e a identificação de um problema na relação ‘Homem x Animal’ e propor solução para tal.

O projeto idealizado pelos alunos do SESI de São Luís e que foi apresentado na competição implicou na criação de uma coleira e um aplicativo de celular (vulgo app) chamado Dog´s Heart, que monitora o batimento cardíaco do cachorro, usando a tecnologia bluetooth, que será muito útil para quem já tem cachorros com idade avançada.

O professor de robótica Móises Pereira, que treinou o time nos últimos seis meses para a competição não escondeu a alegria e orgulho dos alunos na competição. “Foi nosso segundo torneio e ganhamos essa prova e essa vaga para a final da competição, graças ao empenho dos alunos, dos professores e dos gestores do SESI. Esse ano, nós nos dedicamos não só ao jogo em si na mesa, mas em encontrar uma solução para o problema proposto na competição, que foi a parceria homem e animal. E tendo em vista, o cão, que buscamos como objeto da pesquisa, procuramos pesquisar mais, ouvir especialistas da área e isso foi um diferencial para nossa equipe ser classificada para a final”, destacou o professor.

Alunos do Sesi comemoram o segundo na competição de Minas Gerais

Para o aluno Paulo Lucas Braz, campeão do time maranhense e que estreou na competição, a experiência foi sensacional. “Apesar de ser uma competição, não se vê clima de rivalidade. Nosso time é uma verdadeira família e a FLL é um torneio onde se vivencia o aprendizado na prática e isso a gente leva para a vida inteira”, enfatizou o aluno campeão que já pensa no torneio de Brasília.

Única representante do sexo feminino na equipe, a aluna Isadora Barros também comentou a conquista inédita para o time Einstein Robot. “Essa foi a minha primeira vez na competição. Foi maravilhoso fomos muito bem recebidos lá em Minas, e sair com o prêmio foi dez. Hoje somos uma família e já estamos pensando em treinar para Brasília”.

Para a superintendente do Sesi-MA, Roseli Ramos, a entidade maranhense vem ganhando destaque nas competições nacionais. “O Sesi tem investido na robótica como uma excelente ferramenta na formação ética, pessoal e profissional dos estudantes, pois estimula e trabalha habilidades como liderança, trabalho em equipe e comunicação. Esses nossos alunos representam a escola nas competições em diversos estados, e suas vitórias mostram o compromisso da educação do SESI com a sociedade, o meio científico, tecnológico e de inovação. A robótica é um diferencial na nossa instituição, consta como disciplina em todas as nossas escolas, permitindo que os alunos desenvolvam habilidades para participarem não apenas de carreiras com futuro promissor, mas desenvolverem habilidades de programar seu próprio desenvolvimento e responsabilidade consigo, com o outro, com a sociedade e como mundo”, pontuou a superintendente.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação