Análise de mercado aponta alta de 19,2% na venda de veículos novos mês de novembro

57

Há um crescimento de 4,2% na comparação com 2021

O Radar Autos, levantamento do Data OLX Autos que reúne informações de monitoramento e tendências do setor automotivo, mostra que a venda e produção de automóveis e comerciais leves novos registrou crescimento de 13,9% e 5,5%, respectivamente, em novembro, quando comparado com o mês passado, enquanto a de seminovos e usados cai levemente. Mesmo assim, dados da Fenabrave apontam que a quantidade de carros usados comercializados em novembro é quatro vezes maior.

Segundo o estudo, a retomada de abastecimento de semicondutores, assim como o aumento das exportações para o México e Chile contribuem para esse avanço na cadeia produtiva do setor, que teve em novembro o terceiro melhor desempenho do ano, atrás apenas de julho e agosto. Com isso, há uma continuidade na redução da pressão sobre os preços de novos veículos e de usados.

Quando se compara a variação de produção do setor com o mesmo período de 2021, há um crescimento de 4,2%. Já as vendas apresentaram uma alta de 19,2%, registrando o segundo maior desempenho de vendas no ano.

Frota mais sustentável – Presentes nas ruas brasileiras desde 2003, os veículos flex atingem hoje quase 47 milhões de unidades, o que representa 40% da frota total nacional. A adesão a automóveis com combustível mais sustentável tem crescido ao longo desse período. Segundo a Renavam, houve alta de 110% desse segmento nos últimos 10 anos.

O número de veículos elétricos ou híbridos, tecnologia mais recente, aumentou nos últimos dois anos, mas o estoque ainda não ultrapassa 0,1% do total.

O Radar Autos também aponta que, na OLX, os flex têm grande participação nos anúncios de carros, com destaque para o VW Gol, o modelo mais anunciado e vendido na plataforma e o primeiro a aderir à tecnologia e que conta com cerca de 70% das opções de automóveis à venda.

O estudo completo está disponível para download na landing page do Data OLX Autos: https://lp.olx.com.br/dataolxautos/ e considera ainda fontes como Fenauto, BACEN, IBGE e Renavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui