Andrea diz que sabe quais políticos “mandam e desmandam” na Saúde

0
980

A deputada Andrea Murad (PMDB), líder do bloco de oposição na Assembleia Legislativa, defendeu nesta quinta-feira (22) que a CPI proposta pelo deputado Wellington do Curso (PP) para investigar desvios na Secretaria da Saúde deve abranger desde a gestão do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), quando iniciou a contratação de OS e OSCIPS, passando pelos governos de Jackson Lago, Roseana Sarney e agora Flávio Dino.

Ela também criticou o concurso anunciado pelo secretário Carlos Lula, que nunca quis chamar os aprovados no seletivo de 2015 porque, políticos que ela pode apontar quais são, mandam e desmandam na Saúde.

“Em relação à CPI proposta pelo Deputado Wellington, eu como oposição, como uma deputada que também quer as coisas esclarecidas, pedi ao Deputado Wellington que a CPI fosse desde a gestão de Ricardo Murad, que tanto vocês incriminam e até hoje não encontraram nada contra ele.  E vou além, vou pedir ao Deputado Wellington que vá desde o Governo José Reinaldo, quando foi implantado esse modelo de terceirização, passando pelo de Jackson Lago, Roseana Sarney, chegando finalmente ao governo Flávio Dino. Por que se quiser investigar profundamente tem que ser assim, do início até o fim” discursou hoje.

Concurso – Andrea Murad criticou ainda o anúncio do governo sobre a realização de concurso para a saúde como medida de abafar os escândalos na área e o fato de muitos aprovados em seletivos do Estado em 2015 não serem chamados.

“Só após os escândalos na Saúde, ele anuncia o concurso público. E ano véspera das eleições. E cadê as pessoas que passaram no seletivo em 2015 que até hoje não foram chamadas? Depois de muita pressão inaugurou alguns hospitais – destacando que todos foram deixados prontos pelo ex-secretário Ricardo Murad somente para Flávio Dino inaugurar ou concluir – que todos nós sabemos que as vagas são preenchidas por indicações políticas”, acentuou.

Ela disse ainda que pode citar alguns deputados e prefeitos que “mandam e desmandam nas unidades de Saúde”, por isso o Governo do Estado não chama quem passou no seletivo e por isso que a Saúde está como está. “Aí vem este secretário dizer que nunca se investiu tanto na Saúde como agora. Ora, tenha paciência! Está de brincadeira? De fato, com esse tipo de declaração ele só demonstra que não sabe o que acontece na gestão dele, que sequer ouve a população”.

Andrea lembrou que quase diariamente denuncia as filas nas unidades, sem médicos e sem atendimento para a população, médicos reclamando sem receber, hospitais abandonados ou sendo sucateados, em Upas chega a faltar Buscopan e até gaze. A Saúde está um um caos, a EMSERH quarteirizando serviço para INVISA e a BIOSAÚDE acusadas judicialmente de desvios de recursos em outros estados, mas a Saúde para o secretário está muito bem”, disse.

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação