Ao cobrar lista de fantasmas da Saúde, Flávio Dino questiona trabalho da PF

0
1396

AQUILES EMIR

Numa postagem nas redes sociais, na tarde desta terça-feira (21), governador Flávio Dino (PCdoB), ao cobrar novamente a divulgação da lista de supostos 400 funcionários fantasmas que existiriam na Secretaria de Saúde, pôs em dúvida o trabalho da Polícia Federal em sua Operação Pegadores, desencadeada na última quinta-feira (16), em desdobramento da Operação Sermão aos Peixes.

“Investigações não podem ser conduzidas como peças políticas ou puramente midiáticas”, disse o governador, para em seguida levantar a suspeita de que as declarações dos investigadores pode ser uma invenção. “Inventaram uma sorveteria ´jocosa`. Será que a lista de “400 fantasmas” também foi inventada?”, indagou o governador, distorcendo a informação a administradora de hospitais que fechou contrato com a Secretaria da Saúde.

A sorveteria em questão foi constituída em 2013, depois virou uma empresa de capacitação profissional e por último, em 2015, se tornou uma empresa especializada na gestão de serviços médicos. Por meio dela teriam sido desviados mais de R$ 1 milhão.

 

Enfático na cobrança da lista, disse Flávio Dino: “Queremos a lista para ajudar a apurar a alegação. Já requeremos oficialmente 2 vezes e nada. Um delegado da Polícia Federal afirmou ao país que havia essa lista de “400 fantasmas” em 2015 e nós queremos apurar administrativamente. Onde está a lista?”.

Ainda de acordo com o governador, “a linha do nosso governo sempre foi e continua a ser de colaborar com todas as investigações sérias e isentas. Por isso queremos a lista. Para ajudar a esclarecer a verdade, qualquer que seja ela”, finalizou Flávio Dino.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação