Aos 43 anos, Zé Roberto se despede dos gramados do futebol em noite emocionante

0
497

Um ano após conquistar o título do Campeonato Brasileiro, Zé Roberto voltou a campo no mesmo palco da conquista nacional e emocionou os torcedores presentes no Allianz Parque na noite desta segunda-feira (27), na vitória do Palmeiras sobre o Botafogo, por 2 a 0, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Aos 43 anos, o jogador se despediu do futebol brasileiro e recebeu merecidas homenagens.

Como um gesto de gratidão, o dono da camisa 11 hoje vestiu a braçadeira de capitão que vinha sendo utilizada por Dudu nas últimas partidas. Antes de a bola rolar, o jogador foi homenageado pelo presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, com uma placa pelos serviços prestados, além de uma camisa com o seu nome e o número 11, entregue pelo diretor de futebol do Alviverde, Alexandre Mattos. Zé Roberto também ganhou um minuto de aplausos na partida contra o Botafogo – logo após o minuto de silêncio pelas vítimas do acidente aéreo da Chapecoense, que completa um ano.

Com passagens em clubes como Portuguesa, Flamengo, Santos, Grêmio, Real Madrid, Bayern Leverkusen, Bayern de Munique no currículo, além da Seleção Brasileira, pela qual disputou duas Copas do Mundo, Zé Roberto escolheu o Palmeiras para pendurar as chuteiras. Ao todo, foram 133 jogos, 69 vitórias, 26 empates e 38 derrotas, com dez gols marcados.

“Acho que termino um ciclo vitorioso e não poderia deixar de completar com vitória. E ainda coroando o clube, tendo a festa com os torcedores aqui e alcançando o objetivo, que é a segunda colocação do campeonato. Claro que ainda tem uma rodada, mas hoje a gente fez o papel em casa e saio feliz por tudo aquilo que contribuí para o futebol”, declarou o jogador após a partida com o Botafogo.

O lateral-esquerdo também falou rapidamente sobre o momento especial desta segunda-feira.

“Nesses 23 anos de carreira como profissional eu achei que fosse agregar muito. Claro que agreguei, mas acho que aprendi muito. Aprendi que, independentemente da nossa idade e de tudo aquilo que a gente constrói no futebol, cada dia é um aprendizado. Escolhi o Palmeiras para encerrar minha carreira pela identificação que eu tive, pelo carinho dos torcedores e pelo tempo que o clube estava passando por uma fase muito difícil. E, de 2015 para cá, a gente conseguiu colocar o clube no patamar que ele merecia estar. Conseguimos resgatar o torcedor, que voltou ao estádio e voltou a ter esperança no clube. E através disso conseguimos o tricampeonato da Copa do Brasil, o Brasileiro ano passado, e esse ano poder ficar na segunda posição para entrar na fase direta da Libertadores. Saio daqui hoje com o dever cumprido, sabendo que dei o meu máximo e deixei um legado. Quando cheguei, o Palmeiras era grande. Agora que estou saindo, o Palmeiras é gigante”, finalizou Zé Roberto.

(Da CBF e imagem do Palmeiras)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação