Para Wellington do Curso, apreensão de veículos fere Constituição

0
620

O deputado Wellington do Curso (PP) utilizou as redes sociais para relatar a denúncia de maranhenses em relação as blitz realizadas em São Luís. O parlamentar disse que própria população classificou o serviço como “blitz delivery”.

Wellington pediu que o governador Flávio Dino (PCdoB) proíba a apreensão de veículos por atraso no IPVA, pois, segundo ele, vai contra a Constituição Federal. Ele fez questão de enfatizar que é a favor de blitz. “O governador deveria se preocupar em punir criminosos e não tratar trabalhadores como se fossem bandidos”, afirmou.

“Recebemos essas imagens de vários maranhenses que estão revoltados com o abuso de poder por parte do Governador Flávio Dino! Não satisfeito em já ter leiloado quase 12 mil veículos, Flávio Dino agora está fazendo uma espécie de ‘blitz delivery’! De tão patético e desrespeitoso, chega a ser inacreditável. É isso mesmo: agora, o Governador ordenou que faça blitz em ruas, no seu bairro, na porta da sua casa.

Não somos contra blitz. Ao contrário: tem que existir sim, mas para punir criminoso. Também entendemos que os militares estão apenas cumprindo ordens. Governador, Vossa Excelência foi juiz. Sabe muito bem que o STF considera isso Inconstitucional. Por que insiste em pegar, tomar o veículo do maranhense? Nosso Projeto de Lei 99/2017, que proíbe a apreensão de veículos por não pagamento de IPVA, está em tramitação na Assembleia.

Também já fizemos representações cobrando Ações da Promotoria, OAB e Defensoria Pública. Não estamos defendendo inadimplentes. Há outros meios para punir quem não pagar o IPVA. Tomar o veículo e tratar trabalhador como bandido é desrespeitar o maranhense. Governador, respeite a população! Não trate o trabalhador como se bandido fosse”, disse Wellington em suas redes sociais.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação