Apesar de ter começado primeiro, Argentina é ultrapassada pelo Brasil no ranking de vacinação contra Covid-19

0
185

Ranking é liderado por Israel, Canadá e Reino Unido

Apesar de ter saído na frente, a Argentina, com 21,4% dos 45 milhões de habitantes imunizados, ocupa a 45ª posição no ranking mundial de vacinação (46 se incluir a China) e a quinta no nível regional, atrás do Brasil (21,61%). Aproximadamente, 2,8 milhões – receberam as duas doses e mais de 15% – cerca de 10 milhões – a primeira, segundo a agência oficial Télam.

Em detalhe, 78% dos maiores de 80 anos, 86,5% entre 70 e 79 anos, 83% entre 60 e 69 anos e 82,5% dos maiores de 60 anos receberam pelo menos uma dose.

Enquanto o plano de vacinação avança com o cadastramento de maiores de 18 anos com comorbidades nas regiões de maior circulação do vírus, como a província de Buenos Aires e a Cidade Autônoma de Buenos Aires, na semana passada o país recebeu um novo lote com 2,1 milhões de doses.

Além disso, a Argentina obteve a aprovação do Instituto Gamaleya da Rússia, para o qual começará a produzir localmente a vacina Sputnik V, enquanto a província de Buenos Aires anunciou a compra de pelo menos 10 milhões de doses do laboratório indiano Bharat Biotech.

No ranking segue El Salvador com 17,7% de sua população vacinada, e México, Costa Rica e Panamá entre 16% e 17,1% , mas a distância aumenta mais com Colômbia, Bolívia, Equador e Peru, que oscilam entre 13% e 8% .

Uma parte importante da região atingiu esses percentuais graças ao mecanismo promovido pela Organização Mundial da Saúde, o sistema Covax, que visa garantir o acesso eqüitativo às vacinas para todos os países.

Só nesta semana que terminou, reuniu em duas horas e meia os recursos que faltavam para vacinar 30% da população de países de baixa renda.

Entre os países que estão entre os 20 primeiros com maior população vacinada, os Estados Unidos se destacam, com mais da metade dos 328 milhões de habitantes já em uso.

Enquanto isso, vários países da União Europeia (UE), como Alemanha, Itália, Espanha, Holanda, França e Polônia, registram cobertura vacinal de 36% a 43% entre aqueles que receberam uma ou duas doses, e a China, o país que está administrando a maioria das doses por dia – cerca de 20 milhões – já atingiu mais de 40% de sua população com pelo menos uma aplicação.

(Com informações da Agência Télam, da Argentina)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação