Após morte de comerciante, Rigo Teles protesta contra “gaiolão”

0
681

AQUILES EMIR

É provável que o deputado Rigo Teles, líder do Partido Verde (PV) na Assembleia Legislativa, já tivesse pelo menos ouvido falar da existência de um “gaiolão” na delegacia de polícia em sua cidade, Barra do Corda, mas foi preciso um preso morrer para ele fazer um pronunciamento nesta quarta-feira (11), para protestar e cobrar da Secretaria de Segurança Pública e do Ministério Público apuração do caso e a punição dos culpados pela morte do empresário Francisco Silva, ocorrida na segunda feira (09), no interior dessa unidade policial.

Francisco Silva foi preso por uma guarnição da Polícia Militar no domingo (08), por volta de meio-dia, depois que se envolveu em um acidente com um motociclista na BR-226, no perímetro urbano da cidade de Barra do Corda. O motociclista teria quebrado um braço em uma perna no choque entre os veículos.

O empresário foi levado para a Delegacia de Barra do Corda e colocado em um gaiolão nos fundos do prédio, onde passou a tarde de domingo, castigado pelo sol e temperatura de mais de 40° graus, e a noite inteira preso. Por volta das 8hs de segunda-feira, Francisco Silva entrou em convulsão e foi levado para a UPA, onde morreu.

Para Rigo Teles, a população se revoltou com a morte trágica do empresário, que era um cidadão de bem muito conhecido e nunca teve sequer uma passagem pela polícia. “É preciso que as autoridades apurem o fato. Realmente aconteceu um acidente, a vítima ficou apenas machucada e Francisco morreu”, disse.

Por fim, Rigo Teles relatou que Francisco Silva foi jogado no gaiolão, tinha problema de pressão e terminou indo a óbito. “A justiça tem que apurar os fatos. A população está revoltada com essa situação e estamos aqui ao lado dela. Que os fatos sejam apurados, a justiça seja feita e os culpados punidos”, concluiu.

(Com dados da AL)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação