Filmes experimentais são o foco da 4ª edição da Quelly – Mostra Nacional de Cinema de Gênero e Sexualidade

0
297

Mostra retorna de forma presencial com filmes nacionais, internacionais e oficina para profissionais

O Centro Cultural Vale Maranhão apresentará, de 6 a 9 de julho, às 19h, a quarta edição da Quelly – Mostra Nacional de Cinema de Gênero e Sexualidade, em parceria com a Kasarão Filmes. Este ano, a mostra volta a ser presencial, após dois anos em formato virtual por conta da pandemia de COVID-19.

Desta vez, o evento tem foco em filmes experimentais, que fogem de estereótipos característicos de obras de ficção.

‘’Analisando os filmes exibidos em festivais nacionais, percebi um novo direcionamento que realizadores brasileiros vêm seguindo, uma não-aceitação das velhas fórmulas de fazer cinema, apresentando um crescimento de filmes em que os corpos dissidentes são mais simbólicos que a fala”, conta George Pedrosa, cineasta e produtor cultural que assina a curadoria da Quelly ao lado dos produtores Josh Baconi e Gabriel Marques.

Serão exibidos curtas, médias e longas-metragens que retratam a afetividade de uma forma singular, manifestando vivências LGBTQIA+ de diversas partes do Brasil e do mundo. Um dos destaques nacionais desta edição é o filme cearense Fio de Ariadne, dirigido por Mozart Freire e Ton Martins. O longa retrata a história sensível da costureira Ariadne, que se utiliza do próprio trabalho e das afetividades nos seus relacionamentos para superar traumas passados. A produção é a vencedora do prêmio de melhor filme na Mostra Quatro estações e no Festival de Cinema de Vitória.

Exibição de filmes internacionais e oficina de cinema Queer – Pela primeira vez, a Quelly exibirá em sua programação filmes internacionais, como Naughty Spot, produção franco-brasileira dirigida por Jean Costa, que retrata as relações casuais de um homem na Ilha de Corsica, com encontros guiados por um misterioso aplicativo. O filme é uma jornada de descoberta de território, sexualidade e intimidade dos habitantes da ilha.

Outra novidade é a realização da oficina Cinema Queer – Reflexões sobre o trabalho da direção, de 7 a 9 de julho, às 15h, com a exibição e análise de trechos de produções, discussão dos processos de criação, panorama histórico e desafios de produzir e realizar filmes com essa temática no atual cenário cultural brasileiro. A oficina será ministrada pelo diretor Daniel Nolasco, bacharel em cinema e audiovisual pela Universidade Federal Fluminense. Não é necessário inscrição para participar da oficina, a entrada é livre.

Este ano, a Quelly – Mostra Nacional de Cinema de Gênero e Sexualidade é a programação maranhense convidada do Ocupa CCVM – Audiovisual, edital voltado para a investigação das possibilidades do cinema em consonância com outras linguagens artísticas. “Alguns dos nossos principais eixos de trabalho são a democratização do acesso à cultura e o fomento ao diálogo de temas urgentes. Vivemos a era da imagem, do vídeo, do instantâneo, o que torna o audiovisual um dos dispositivos mais potentes para efetuarmos essas discussões. A Quelly reforça esse compromisso, exibindo em sua programação produções que dificilmente seriam veiculadas no Maranhão e promovendo o pensamento crítico do público”, afirma Gabriel Gutierrez, diretor do Centro Cultural Vale Maranhão.

O Centro Cultural Vale Maranhão fica localizado à Av. Henrique Leal, 149, no Centro Histórico de São Luís e a programação é gratuita. Classificação 18 anos

Programação 4ª edição Quelly – Mostra Nacional de Cinema de Gênero e Sexualidade

Programa 1 (dia 06)

  • Vento Seco – Daniel Nolasco (GO – BR), 2020
  • Sinopse: No mês de julho, o vento seco e a baixa umidade do ar ressecam a pele dos moradores de uma pequena cidade no interior de Goiás. Sandro divide seus dias entre o clube da cidade, o trabalho, o futebol com amigos e as festas locais. Ele tem um relacionamento com Ricardo, seu colega de trabalho. Mas a sua rotina começa a mudar com a chegada de Maicon, um rapaz que desperta o seu interesse e do qual todos sabem muito pouco.
  • Classificação: 18 anos

Programa 2 (dia 07)

  • Levados (Gare aux coquins) – Jean Costa (França), 2021
  • Sinopse: É a primeira vez de Tonio na Córsega. Ele explora o território e os aplicativos de encontro até topar com o Oráculo, um usuário que lhe conta sobre a vida gay na ilha. A conversa é reencenada com um ator que parece se conectar profundamente com a história do Oráculo.
  • Classificação: 18 anos
  • Capim-Navalha – Michel Queiroz (GO – BR), 2021
  • Sinopse:  Capim-Navalha é sobre pessoas transvestigêneres que vivem, habitam e ‘re-existem’ na Chapada dos Veadeiros, no interior de Goiás. Temos como protagonistas Gustavo e Gaé, homens trans que abrem sua vida e pele aos olhos da câmera.
  • Classificação: 18 anos

 

  • Tinha Tempo que eu não via o Sol – Guilherme Jardim (MG – BR), 2021
  • Sinopse: Lembro que era verão.
  • Classificação: Livre
  • Fio de Ariadne – Mozart Freire e Ton Martins (CE – BR), 2020
  • Sinopse: Ari, uma professora de corte e costura, celebra sua gravidez com as alunas e Laura, sua parceira. Porém, entre uma aula e outra ela tece linhas de fuga para escapar de uma relação opressora do passado. Com o afeto gerado por sua turma, Ari encontra o corte certo para se fortalecer e superar seu medo.
  • Classificação: 16 anos
  • Custódia – Vinicius Sassine (DF – BR), 2021
  • Sinopse: Ícaro e Valesca são presos depois de serem pegos vendendo bombons de chocolate. Passados os meses no cárcere, os dois tentam ter algum controle sobre os seus próprios destinos.
  • Classificação: Livre

Programa 3 (dia 08)

  • Pânico Vaginal – Lara Duarte (SP – BR), 2020
  • Sinopse: Esta ficção científica de Lara Duarte lida com a falência das relações normativas, transportadas para um futuro hiper ficcional e distópico.
  • Classificação: 18 anos
  • Romy & Laure… Et Le Mistère Du Plug Enchanté – Romy Alizée e Laure Giappiconi (França), 2021
  • Sinopse: Depois do primeiro capítulo de suas aventuras dementes com o homem dos móveis, os besties Romy e Laure se mudam junto com o seu amigo Elisa e Titi, o gato curioso. Um dia, um novo plug de bunda brilhante aparece misteriosamente à sua porta. Seu poder sexual pode ser perigoso – eles serão capazes de resistir ao seu extraordinário apelo?
  • Classificação: 18 anos

 

  • Vênus de Nyke – André Antônio (PE – BR), 2021
  • Sinopse: Amiga, hoje tive consulta com ele de novo. E tô cada vez mais passada porque, diferente de todo paciente que eu tenho, ele não demonstra o mínimo desconforto com as bizarrices sexuais dele. Pelo contrário. Eu mantenho meu diagnóstico: quadro agudo de melancolia e fuga da realidade. Às vezes, ele chega tão longe nesse delírio que se imagina uma espécie de profeta. Como se fizesse parte de uma seita.
  • Classificação: 18 anos

Programa 4 (dia 09)

  • Na Rua Nua e Crua – Daniel Rangel e Joyce Cursino (GO – BR), 2022
  • Sinopse: A fim de cumprir uma promessa feita a Deus, Igor procura Frida Tiffany, travesti que tem muito a lhe ensinar sobre o Segundo Mandamento.
  • Classificação: 18 anos
  • Amor By Night – Henrique Arruda (PE – BR), 2021
  • Sinopse: Em um futuro próximo, vozes se apaixonam, e amores serão frequências.
  • Classificação: Livre

 

  • Vagalumes – Leo Bittencourt (RJ – BR), 2021
  • Sinopse: O lado noturno de um ícone modernista. A fauna e flora dos jardins de Roberto Burle Marx habitados pelos frequentadores do Parque do Flamengo enquanto a cidade do Rio de Janeiro adormece. Vagalumes é uma etnografia fabular noturna do Aterro do Flamengo.
  • Classificação: 18 anos

 

  • Uma Paciência Selvagem Me Trouxe Até Aqui – Érica Sarnet (RJ – BR), 2022
  • Sinopse: Cansada da solidão, a motoqueira Vange (Zélia Duncan) decide atravessar a ponte Rio-Niterói até uma festa lésbica, onde conhece quatro jovens que compartilham entre si o lar e os afetos. Um encontro de gerações; uma homenagem às que nos trouxeram até aqui.
  • Classificação: 18 anos

Serviço

  • O quê: Quelly – Mostra Nacional de Cinema de Gênero e Sexualidade
  • Quando: de 6 a 9 de junho, às 19h
  • Onde: Centro Cultural Vale Maranhão
  • Informações: 98 984799061 |E-mail: comunicacao@ccv-ma.org.br
  • Sobre o Centro Cultural Vale Maranhão
  • O Centro Cultural Vale Maranhão é um espaço cultural mantido pelo Instituto Cultural Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o objetivo de contribuir na democratização do acesso à cultura e valorização das mais diversas manifestações e expressões artísticas da região.
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação