Às vésperas de completar 63 anos, Difusora AM sai do ar neste domingo e nasce a Nova FM

0
1966
AQUILES EMIR
Não há morador de São Luís na faixa etária dos 45 anos e que aqui reside desde a primeira metade da década de 70 do século passado que não lembre quando ao meio-dia a cidade praticamente parava para ouvir a crônica de Bernardo Coelho de Almeida no Difusora Opina, em que era manifestada a posição da Rádio Difusora AM sobre temas diversos, fosse da política, de violência etc.
Eram famosos também outros programas como Quem Manda é Você, com José Branco; Correio do Interior (com avisos para todos os municípios do estado), Debaixo do Pé de Cajueiro, com Jairzinho da Silva; Jovem Meia-Oito-Zero, com Florisvaldo Sousa; Fontinelle é o Esporte, com Herbeth Fontenelle; as narrações esportivas com Guioberto Alves e muitos outros.
Muito lembrado também é o programa de ficção científica A Guerra dos Mundos inspirado na obra do escritor britânico Herbert George Wells, que a população em estado de pânico. A emissora foi lacrada pelo Exército e ficou três dias fora do ar.
Os amantes do rádio que ainda hoje sintonizam a faixa dos 680 KHZ das Ondas Médias em busca de informação ou entretenimento e recordam com saudade desses programas que marcaram história, terão mais motivos para viver de melancolia. É que neste domingo a Rádio Difusora encerrou suas transmissão em AM, ou seja, na segunda-feira (17) ela estará muda e toda sua programação vai migrar para a faixa Frequência Modulada (FM), onde ser sintonizada nos 93.1 MHZ com o nome de Nova FM.
O encerramento das operações em AM é uma obrigação, já que o Ministério das Comunicações vai transferir todos os sinais  para as empresas de telefonia móvel e a Difusora, que dia 29 de outubro completaria 63 anos, é a primeira do Maranhão a fazer a migração. A próxima será a Mirante (600 KHZ).
Para fazer a migração, o Grupo Difusora investiu pesado em novas tecnologia, estúdio moderno (foto), e terá uma programação voltada para o jornalismo e o entretenimento, na mesma linha, por exemplo da Jovem Pan FM e outras que deixaram de ser apenas tocadoras de música. A direção geral ficará com Paulinha Lobão e a artística com Nilo Gomes.
“Alto investimento em tecnologia, estrutura de vanguarda e principalmente investindo em conteúdo e música de boa qualidade”, destaca Paulinha Lobão.
“Nós queremos tirar os ouvintes dessa bolha do rádio que tem afastado o público que migrou para outras plataformas com maior repertório musical”, completa Nilo Gomes.
O início das operações da Nova FM 93,1 KHZ teve sua data escolhida não sem sentido, pois esse é o dia do aniversário do seu proprietário, Edison Lobão Filho.
Apesar da FM ter um alcance bem menor que o AM, Nilo Gomes está confiante no sucesso da emissora, pois com o advento da internet hoje é possível ouvir de qualquer parte do mundo. Sobre a programação, diz que será de alto nível.
(Com dados de Davix Max)
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação