Assembleia realiza seminário para debater sistema portuário do Maranhão

0
785

A Assembleia Legislativa está nos preparativos finais para realização de um seminário vai tratar do desenvolvimento portuário maranhense. O coordenador do evento é o deputado Júnior Verdes (PRB) para quem o tema é importante por conta de o estado possuir um dos maiores portos do país, o Itaqui, por onde saem e chegam dezenas de tipos de produtos, movimentando riqueza e gerando empregos.

“É um porto brasileiro importante que, estrategicamente, sabemos que dá acesso a um portal daqui para o mundo, e, por isso, precisa se desenvolver. É claro que a conjuntura das discussões que tivemos na tarde de ontem foi nesse propósito. Já fizemos, antes, um seminário, inclusive com apoio do Professor Oyama, que estava presente nessa sessão. O professor nos ajudou a formalizar essa iniciativa, que é poder realmente discutir um tema importante para a logística do desenvolvimento deste país”, contou.

Semana passada houve um encontro com representantes da Petrobras, Banco do Nordeste e, também, de empresas que lidam com o setor portuário, para discutir as regras e a necessidade de se fazer a reedição do seminário ou um fórum para discutir a questão portuária do Estado.

“Eu faço referência à questão portuária, hoje, porque devemos desenvolver a economia no Maranhão. Como é que nós conseguimos desenvolver a economia do estado? Ora, primeiro precisamos dar atrativos para que as empresas se instalem no Maranhão. Nós temos reunido todas as condicionantes para que realmente as empresas se instalem em nosso estado. Precisamos buscar, claro, fazer com que as empresas percebam que nós temos a logística necessária. Temos um porto, temos nossas BR’s, temos nossas ferrovias, tudo que é condicionante como elo de um processo para o desenvolvimento econômico e que permita fazer com que elas possam aqui se instalar”, analisou.

Infraestrutura – De acordo com o parlamentar, é preciso, também, conceder incentivos fiscais para que as empresas se instalem e gerem empregos, que só virão se houver investimentos na infraestrutura.

Imagem relacionada

“Precisamos ampliar a nossa capacidade de recebimento de navios. Quando a gente está na Litorânea, na praia, na orla marítima aqui de São Luís, vemos os navios ali, aguardando para poder atracar, carregar ou descarregar. Aí você percebe, ali, uma fila. Aquela fila não é uma fila que seria a princípio normal, porque o que se quer é que se tenha mais praticidade, facilidade. Cada navio parado significa dizer que há uma perda no que se refere a custo/benefício, porque há um custo pela estada do navio, ali, naquele momento. Então é preciso dar celeridade, ampliar a capacidade portuária do Maranhão”, afirmou Júnior Verde.

“O Tegram (Terminal de Grãos do Maranhão) já é a uma referência deste avanço, e já temos aí um escoamento de grãos e os navios são carregados com grãos e são exportados. Mas, precisamos continuar essa ampliação, perceber que é possível atrair investimentos, indústrias, que possam estar beneficiando os produtos aqui mesmo e, claro, tendo o condicionante de poder fazer o escoamento da produção e o porto ser esse portal de acesso. Precisamos melhorar e, ontem, nós já conseguimos discutir com o corpo técnico os primeiros momentos de um fórum, para discutir, realmente, essa necessidade de ampliação do Porto do Itaqui”, finalizou.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação