Assembleia rejeita medalha a Michelle Bolsonaro e adia título de cidadania para o ex-presidente

73

Homenagem a Bolsonaro ainda depende de parecer da CCJ

AQUILES EMIR

A Assembleia Legislativa do Maranhão, rejeitou por 18 votos contrários e 11 a favor a concessão da Medalha do Mérito Manoel Beckman à ex-primeira-dama do Brasil Michelle Bolsonaro, que estará em São Luís no próximo sábado (20) para um encontro do PL Mulher. Na mesma sessão, nesta quinta-feira (18), foi adiada a votação do projeto que concede o titulo de Cidadão Maranhense ao ex-presidente Jair Messias Bolsonaro.

Ambos os projetos são de autoria do deputado Yglesio Moisés, que tem se revelado um dos maiores defensores do ex-presidente no parlamento estadual, devendo disputar a Prefeitura de São Luís com a bandeira do Bolsonarismo.

Apesar do parecer favorável do Comissão de Constituição e Justiça, que é presidida pelo líder do Governo, Neto Evangelista, a matéria em homenagem a Michelle foi rejeitada no plenário.

Além dos 29 que votaram, dez registraram ausência, uma deputada (Andreia Rezende) se absteve e a presidente da Casa, Iracema Vale, não votou.

Votaram pela rejeição: Antônio Pereira, Arnaldo Melo, Carlos Lula, Florêncio Neto, Francisco Nagib, Glaubert Cutrim, Hemetério Weba, Janaina, Jota Pinto, Júlio Mendonça, Leandro Bello, Neto Evangelista, Othelino Neto, Rafael, Roberto Costa, Rodrigo Lago e Zé Inácio. A favor, votaram Alan do Marissol, Aluizio Santos, Ana do Gás, Ariston, Cláudia Coutinho, DR, Yglesio, Dra, Viviane, Edna Silva, Fabiana Villar, Fernando Braide e Mical.

Os que se ausentaram foram Cláudio Cunha, Daniela, Davi Brandão, João Batista Segundo, Júnior França, Osmar Filho, Pará Figueiredo, Ricardo Arruda, Ricardo Seidel, Rildo Amaral, Solange Almeida e Wellington do Curso.

Cidadania – Quanto ao título de cidadania ao ex-presidente, o projeto ainda depende de parecer da CCJ, que cegou a se reunir no plenário, porém houve um pedido de vistas do deputado José Inácio (PT), que deverá devolver o texto na próxima sessão, na segunda-feira (22) da próxima semana.

Para o deputado Yglesio, a rejeição da homabem à ex-primeira daman foi apenas birra política, com mitos deputados querendo fazer média com o presidente Lula e o ministro do Suprem Flávio Dino, que, mesmo afastado da política, ainda lidera o grupo ue formou quando era governador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui