Adepol cobra esclarecimentos sobre denúncias de envolvimento de delegado com contrabando

0
1277

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Maranhão (Adepol-MA) expediu nota sobre o afastamento do delegado Tiago Bardal da função de Superintendente de Polícia da Capital, pelo secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, que o exonerou por quebra de confiança. Para o secretário, o fato do delegado estar próximo do local onde haveria uma operação policial para desbaratar uma quadrilha que praticava contrabando de cigarros, bebidas, armas e drogas ficou muito suspeita, por isto não merecia mais estar exercendo a função que ocupava.

Na nota, a Adepol diz que nenhum dos envolvidos no crime ora investigado diz conhecer o delegado e ele teria passado o dia inteiro trabalhando, sem que em algum momento tivesse sido convidado a prestar esclarecimentos sobre, versão que o próprio delegado deu ao programa Ponto e Vírgula, da Difusora FM.

Ainda de acordo com a nota da entidade, “a Associação dos Delegados de Polícia do Estado Do Maranhão informa que acompanhará o desenrolar das investigações que se iniciaram e acredita que ao final exsurja a verdade”.

Eis a íntegra da nota da Adepol:

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Maranhão – ADEPOL MA, com abono em manifestação do associado, vê-se impulsionada em esclarecer notícias tornadas públicas através de sites da internet e da mídia em geral, noticiando o suposto envolvimento do Dr. Tiago Mattos Bardal em atividade ilícita e submeter os informes divulgados unilateralmente nos meios de comunicação à análise individual com novos elementos fáticos.

O Dr. Tiago Mattos Bardal foi exonerado do cargo de direção da SEIC no dia de hoje em virtude de ter sido citado por policiais militares que afirmaram ter abordado o seu veículo duas horas antes da operação policial e cerca de 5 km do local onde as prisões e apreensões se deram. Todas as pessoas que foram conduzidas para a Delegacia de Polícia foram ouvidas e nenhuma delas citou o nome do Dr. Tiago Mattos Bardal, inclusive, quando questionados pela Autoridade que presidia o ato, declararam que não o conheciam, nunca o viram e nunca tiveram qualquer contato com o mesmo.

Na data de hoje, em nenhum momento o Dr. Tiago Mattos Bardal foi chamado pela cúpula da segurança pública nem pela SECCOR para dar a sua versão dos fatos, mesmo passando todo o dia trabalhando normalmente, cumprindo as suas funções laborais.

Lamentavelmente seu envolvimento foi dado como certo em graves delitos que ainda estão sendo apurados.

Por derradeiro, a Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Maranhão informa que acompanhará o desenrolar das investigações que se iniciaram e acredita que ao final exsurja a verdade.

São Luís/MA, 22 de fevereiro de 2018

A DIRETORIA

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação