Ataques do Irã contra Israel preocupam o Brasil; Lula aciona o ministro Mauro Vieira

13

Lula buscou informações sobre andamento do conflito

O assessor para assuntos internacionais da Presidência da República, Celso Amorim, disse que o governo brasileiro considera a escalada entre Israel e Irã “extremamente preocupante”. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou por telefone com o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, neste sábado (13), sobre os ataques contra Israel perpetrados pelo Irã.

A retaliação foi ao ataque ao consulado iraniano na Síria, ocorrido em 1º de abril, que matou sete membros da elite do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês).

Segundo noticiou a CNN Brasil, na conversa, Lula buscou informações sobre o andamento do conflito e sobre a situação dos brasileiros que O estão na região afetada pelos ataques.

Também neste sábado, em entrevista ao jornal O Globo, o assessor para assuntos internacionais da Presidência da República, Celso Amorim, disse que o governo brasileiro considera a escalada entre Israel e Irã “extremamente preocupante”.

“Vemos essa escalada com preocupação. É enormemente preocupante e o governo brasileiro está preocupado”, disse Amorim.
Fotomontagem mostra Joe Biden, à esquerda, e Benjamin Netanyahu, à direita - Sputnik Brasil, 1920, 13.04.2024

Amorim enfatizou que as relações do Brasil com Israel estão precárias por conta dos ataques da chancelaria israelense ao presidente Lula, e afirmou e que ambos os lados não têm dialogado.

“O nosso embaixador foi chamado para consultas pela maneira rude como foi tratado pelo ministro das Relações Exteriores [Israel Katz]. Nossas comunicações com Israel hoje em dia são precárias. O ministro das Relações Exteriores [de Israel] fez um ataque violento ao presidente da República o chamando de mentiroso. Nós não temos contato com o governo de Israel no momento. Com o Irã tampouco”, disse Amorim.

Neste sábado (13), o Irã realizou um ataque massivo com drones contra Israel. O ataque veio em meio às expectativas de uma resposta de Teerã ao ataque fatal ao consulado iraniano na Síria.

Em comunicado, o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica afirmou que os ataques do Irã estão alinhados aos princípios de legítima defesa previstos na Carta das Nações Unidas (ONU), e frisou que Israel atacou uma instalação diplomática do Irã.

Posicionamento do governo brasileiro

Por meio de nota, o Itamaraty informou que o governo brasileiro acompanha, “com grave preocupação, relatos de envio de drones e mísseis do Irã em direção a Israel, deixando em alerta países vizinhos como Jordânia e Síria”.
Lançamento de combate de um míssil do sistema de mísseis tático-operacional Iskander para destruir hangares com equipamento militar e munições das Forças Armadas ucranianas durante a operação militar especial - Sputnik Brasil, 1920, 13.04.2024

“O governo brasileiro recomenda que não sejam realizadas viagens não essenciais à região e que os nacionais que já estejam naqueles países sigam as orientações divulgadas nos sítios eletrônicos e mídias sociais das embaixadas brasileiras. O Itamaraty vem monitorando a situação dos brasileiros na região, em particular em Israel, Palestina e Líbano desde outubro passado”, finalizou a nota.
(Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui