Áudio de ministro do TCU fala de inquietações nos quarteis e situação imprevisível para o país

76

Augusto Nardes diz que desenlace é questão de dias

A jornalista Monica Bergamo publicou neste domingo (20) em sua coluna na Folha de São Paulo preocupante notícia sobre a estabilidade política no Brasil depois do 30 de outubro, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi considerado eleito sucessor de Jair Bolsonaro. Segundo ela, um áudio atribuído ao ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes enviado a amigos do agronegócio pelo WhatsApp alerta para uma forte inquietação nos quarteis com militares inconformados com o resultado das urnas.

“Está acontecendo um movimento muito forte nas casernas e é questão de horas, dias, no máximo, uma semana, duas, talvez menos do que isso para um desenlace bastante forte na Nação, de consequências imprevisíveis, imprevisíveis”, teria dito o ministro.

No áudio, Nardes diz ainda que não poder falar tudo o que sabe sobre o “desenlace” que prevê para os próximos dias.

“Eu não posso falar muito. Sim, tenho muitas informações, queria passar para ti, para o teu time do agro, que eu conheço todos os líderes”, teria dito o ministro, que foi o relator das contas presidenciais de Dilma Rousseff em 2015, rejeitadas e que causaram o seu impeachment.

Ainda de acordo com Bergamo, em outro momento do áudio, Nardes afirma que conversou “longamente com o time do [Jair] Bolsonaro essa semana”. Ele confirmou que o presidente estaria tratando de uma doença de pele, mas logo estaria recuperado para “enfrentar o que vai acontecer no país”.

“Ele [Bolsonaro] não está bem, está com um ferimento na perna, uma doença de pele bastante significativa. Mas tem esperança de poder se recuperar e poder melhorar sua condição física. E certamente terá condições de enfrentar o que vai acontecer no país”.

Para o ministro uma mudança de rumo do que está se desenhando só haverá de alguns integrantes do governo caírem. “Se vai haver alguma mudança em relação a isso, só se houver uma capitulação por parte de alguns integrantes importantes”. E reafirma que há um sentimento de que a situação atual desaguará em “um conflito social na nação brasileira”.

Na conversa, Nardes que  o presidente Jair Bolsonaro teria reavivado o movimento conservador no país. “Agora veio o Bolsonaro, que despertou a sociedade conservadora, e hoje todo mundo está nas ruas fazendo a defesa desses princípios. Demoramos, mas felizmente acordamos”, afirma.

O ministro critica ainda os governos do PT. “Nunca aceitaram o diálogo, eles foram para um confronto. E agora é um confronto decisivo. Eles vão vir para um confronto que nós todos sabemos quais são as consequências”, diz.

Fala ainda sobre a necessidade de o Brasil “acordar, despertar, ter fé e crença, como nós tivemos em 2015 [para tirar Dilma do governo]”.

Diz ainda que os produtores rurais têm que se mobilizar também, e não apenas os caminhoneiros.

“Vamos perder? Sim, vamos perder alguma coisa [na economia]. Mas a situação para o futuro da nação poderá se desencadear de forma positiva, apesar desse principal conflito que deveremos ter nos próximos dias ou nas próximas horas”, completa.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) anunciou no Twitter que vai apresentar um requerimento para que Nardes seja convocado a dar explicações ao Congresso Nacional.

Partidos aliados do presidente eleito Lula estudam acionar a corregedoria do TCU para que o ministro preste esclarecimentos. Devem também apresentar uma interpelação no STF para que ele esclareça o sentido de suas frases. Elas poderiam configurar crimes contra o Estado Democrático de Direito, além de calúnia, difamação e injúria.

Nardes afirma à coluna que o áudio de fato é dele, mas que foi enviado a um grupo de amigos. “Era uma conversa privada”, justifica. Diz que sua intenção não foi a de criar “nenhum tipo de tumulto”, mas sim fazer uma análise “dentro da democracia e da liberdade de expressão”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui