Augusto Lobato garante que deputado Waldir Maranhão não entra no PT

0
1615

AQUILES EMIR

O presidente da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), Augusto Lobato (no registro com a presidente nacional, Gleise Hoffmann), garante que o deputado Waldir Maranhão (PP) não logrará êxito no seu intento de ingressar na legenda. Ele duvida que o parlamentar consiga se filiar pelo diretório nacional, e dá como certa sua rejeição pelo estadual.

De acordo com o dirigente do PT, Maranhão não acrescenta nada à legenda; pelo contrário, só atrapalha. Segundo ele, o deputado mirou o partido na tentativa de encontrar uma saída para o seu mal sucedido projeto de se viabilizar candidato a senador com apoio do governador Flávio Dino (PCdoB), e agora quer, pelo menos, salvar sua permanência na Câmara Federal.

Lobato desconfia que Maranhão faça parte de uma estratégia montada pelo Grupo Sarney para tumultuar o PT, e lembra que em 2014 o partido viveu a mesma situação quando foi obrigado a se coligar com o suplente de senador Lobão Filho (MDB), mas a base se manteve com a candidatura de Flávio Dino (PCdoB).  Agora, por objetivos, ainda não confessados, uma corrente quer a entrada do deputado nos quadros da agremiação, criando um grande descontentamento entre boa parte dos filiados.

De acordo com o presidente do PT,  a entrada de Waldir Maranhão para viabilizar seu projeto de ser senador não faz o menor sentido, pois o partido já tem um nome a oferecer à chapa do governador, caso encontre vaga na chapa majoritária, Márcio Jardim, ex-secretário estadual de Esportes e Lazer.

Frustrada esta pretensão e ainda assim se ele insistir em entrar na legenda, sua filiação não será bem vinda, pois também não interessa ao PT reelegê-lo deputado, colocando em risco a renovação do mandato de Zé Carlos, que é um representante mais qualificado na Câmara.

Lobato diz ainda que não há dívida nenhuma do partido com Maranhão, como insistem em afirmar seus seguidores, simplesmente por ele ter tentado barrar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseffe, na Câmara Federal, quando se encontrava no exercício da Presidência da Casa.

Waldir Maranhão tentou anular o impeachment de Dilma

“Ele apertou o botão, mas desligou logo em seguida”, diz o dirigente petista, lembrando que no mesmo Diário Oficial em que foi publicada a portaria que anulava a decisão da Comissão de Constituição e Justiça, para levar a votação do impedimento da ex-presidente ao plenário, outra medida sua cassava a primeira, ou seja, “ele não teve peito para segurar a pressão”.

De acordo com o presidente do PT, o que todos esperavam neste episódio do impeachment era que o deputado mantivesse a decisão, contudo não teve coragem de enfrentar a pressão dos segmentos conservadores, tampouco da imprensa, o que acabou lhe criando um grande desgaste nacional. Ainda assim, Maranhão apostava no reconhecimento dos petistas para pedir ingresso no PT, mas isto, garante, jamais se concretizará.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação