Bancos fecham 2,61% das agências no Maranhão enquanto cooperativas de crédito ampliam redes no estado

20

No Maranhão são mais de oito agências fechadas em apenas dois anos

Mesmo depois da pandemia, os grandes bancos continuam fechando agências bancárias e diminuindo sua rede de atendimento ao público. No Maranhão, já são mais oito agências fechadas em apenas dois anos. Na direção contrária, o Sicredi – primeira instituição financeira cooperativa do Brasil – anuncia, no dia Internacional do Cooperativismo, uma ampliação de suas agências e unidades de atendimento, chegando a 53 pontos presenciais no estado, um aumento de 43,24% no mesmo período. 

Com a expansão, o Maranhão se tornou o quarto estado com o maior número de agências de cooperativas de crédito do Nordeste, com 48 agências. Só o número dos postos de atendimento do Sicredi representaram o quarto maior crescimento percentual da região no biênio 2022-2024. Enquanto isso, o Maranhão teve uma queda de 2,61% no número de agências bancárias. Conhecido como Dia C, o Dia Internacional do Cooperativismo é celebrado no primeiro sábado de julho em todo país com ações sociais voluntárias e de prestação gratuita de serviços.

Para o analista de Planejamento Estratégico da Central Sicredi Nordeste, Jonas Marinho, o crescimento do cooperativismo de crédito na região tem sido impulsionado pela expansão da base de associados e a inclusão financeira de áreas remotas nos estados. São quase 255 mil novos associados no Nordeste em dois anos, levando o Sicredi a atingir R$ 11 bilhões em ativos totais, um aumento de 11,63% no mesmo período. 

“O Sicredi registrou um crescimento de 16% no número de associados na região Nordeste. As cooperativas de crédito têm desempenhado um papel fundamental na promoção da inclusão financeira, atendendo às necessidades de pessoas físicas e jurídicas, especialmente, em áreas em que as agências bancárias tradicionais não alcançam”, aponta Marinho. “As cooperativas oferecem taxas de juros diferenciadas e um atendimento mais humanizado, além de estarem comprometidas com o desenvolvimento socioeconômico local”, completa o analista. 

Impacto na Economia Local –  O crescimento das cooperativas de crédito impacta na economia local uma vez que elas reinvestem os recursos na comunidade com participação democrática dos associados, destinando parte dos lucros a fundos comunitários e programas de educação financeira. “As cooperativas de crédito contribuem diretamente para o crescimento dos associados e das comunidades. O resultado obtido é distribuído entre os associados, e parte desse valor é destinada a fundos e programas que beneficiam a comunidade”, explica o analista do Sicredi. 

Para os próximos anos, a instituição financeira cooperativa tem objetivos claros para continuar seu crescimento no Nordeste. “Nosso objetivo é desenvolver pessoas, estratégias e negócios sustentáveis, aprimorar a gestão de relacionamento com diferentes públicos, potencializar a atuação no segmento de empresas e fortalecer a competitividade no crédito agro”, afirma Marinho. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui