Institutições bancárias oferecem cerca de 150 cursos gratuitos via internet

0
795
Marcos Santos/USP Imagens Tecnologia da informação

Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander oferecem, juntos, cerca de 150 cursos online gratuitos e abertos para toda a sociedade. As aulas abrangem diversas áreas de conhecimento, como administração, finanças, desenvolvimento pessoal e profissional, informática e idiomas, com cursos que incluem até o ensino da língua chinesa.

Com as novas áreas TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação), as instituições financeiras investem na oferta de cursos online gratuitos, que mudam a forma e os processos de ensino e aprendizagem. O objetivo é permitir desenvolver competências individuais e aperfeiçoar a formação pessoal e profissional, qualquer que seja o tempo disponível e a localização do aluno. Os bancos aproximam-se, assim, das comunidades a que pretendem servir.

Entre os cursos mais procurados pelos alunos que participam dos programas gratuitos dos bancos está o de empreendedorismo. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), produzida pela equipe do  (Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP) com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a taxa total de empreendedorismo registrada no país foi de 36,4%, em 2017, o que significa dizer que de cada cem brasileiros e brasileiras adultos, entre 18 e 64 anos, 36 deles estavam engajados em alguma atividade empreendedora, seja na criação ou aperfeiçoamento de um novo negócio ou na manutenção de um negócio já estabelecido. Em números absolutos, esse percentual representa 49,3 milhões de empreendedores em todo o país.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), por meio do programa  Meu Bolso em Dia, fez uma parceria com o Sebrae, e desenvolveram materiais de estudo voltados aos empreendedores. No Canal do Empreendedor, disponível no portal do programa (www.meubolsoemdia.com.br) é possível acessar conteúdo ligado ao cotidiano dos empreendedores por meio de matérias, vídeos, infográficos e outros formatos, com informações como dicas para ampliação dos negócios, instruções sobre controle do fluxo de caixa e um passo a passo sobre como se tornar um microempreendedor individual (MEI).

Aulas disponíveis – Alguns cursos têm como foco parcelas da população que nem sempre têm sua competência reconhecida no mercado. “Plano de crescimento: como transformar negócios em sucesso”, por exemplo, é o nome do curso lançado pelo programa Itaú Mulher Empreendedora para capacitar mulheres em suas trajetórias profissionais, que, em março, quando completará um ano, terá alcançado cerca de 8 mil mulheres no país, segundo prevê o banco.

Na Escola Virtual, da Fundação Bradesco, o curso de empreendedorismo e inovação foi o mais buscado no ano passado entre os 95 cursos gratuitos oferecidos pela instituição para quaisquer interessados, acima de 14 anos. Entre os dez cursos mais procurados em 2018 também estão aulas de estratégia de negócios, introdução à administração, finanças pessoais, além de cursos de Excel básico, língua portuguesa e comunicação escrita. A Escola Virtual foi criada em 2001 e até hoje já atendeu cerca de 3,1 milhões de alunos.

Também voltado para empreendedores, o Programa Avançar, do Santander está disponível para clientes ou não clientes da instituição financeira, e o objetivo é apoiar o crescimento das pequenas e médias empresas. Entre as 44 opções oferecidas estão cursos de idiomas, como inglês, espanhol e chinês; e outros como de finanças básicas para empreendedores, primeiros passos para montar seu negócio, liderança, gestão da carreira, marketing para empreendedores e o direito na vida do empreendedor.

Entre os 16 cursos abertos oferecidos pela UniBB (Universidade Corporativa Banco do Brasil) está o de Gestão Empreendedora e Inovação, que debate, nas aulas online, temas como modelos de negócio, estratégias e o perfil do consumidor. Também estão disponíveis cursos como Prevenção e Combate à Corrupção e o de Liderança, Gestão e Cultura.

Idiomas e informática – Além dos cursos voltados à área de negócios, os bancos oferecem aulas técnicas voltadas ao aprimoramento profissional. É o caso, no Programa Avançar, do Santander, dos cursos de chinês, inglês e espanhol. O curso de chinês, por exemplo, tem dez módulos de seis horas de duração cada um, com 10 testes de autoavaliação e uma avaliação final. O aluno aprende a usar palavras e expressões básicas de uso cotidiano, construir frases e orações simples, reconhecer aproximadamente 50 caracteres chineses e um vocabulário de 150 palavras mais comuns em pinyin – sistema desenvolvido pelo governo chinês que faz a ponte entre o alfabeto latino e o chinês.

A Escola Virtual da Fundação Bradesco tem 66 cursos de informática disponíveis para clientes e não clientes, que englobam temas como banco de dados, desenvolvimento de sistemas, desenvolvimento mobile, informática básica, navegadores, sistemas operacionais, entre outros. Em pacote office, a instituição oferece as versões 2007, 2010 e 2013 dos programas Microsoft Access, Excel, Outlook, PowerPoint e Word nos níveis básicos, intermediário e avançado.

De acordo com a instituição, os cursos online são eficientes por terem flexibilidade, e cumprem o papel de dar aos estudantes uma formação com qualidade e diferencial competitivo. “Sua arquitetura digital favorece a autogestão do estudo, por isso, disponibiliza um ambiente virtual completo e que respeita o ritmo e a capacidade de aprendizagem de cada pessoa”, afirmou a instituição, em nota.

Conheça os cursos online gratuitos oferecidos pelos bancos:

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação