Blog Conversa Franca

Aquiles Emir

14 de jul. de 2020

PERGUNTAR NÃO OFENDE

E se fosse um general que tivesse feito críticas ao Supremo, como estaria sendo a abordagem nos veículos de comunicação e como seria o posicionamento de OAB e outras instituições defensoras da democracia?


Ministro da CGU elogia sugestão de Eliziane Gama para criação de cadastro único para receber benefícios

Wagner Rosário participou de audiência da comissão que acompanha as ações de enfrentamento à covid-19Ao participar nesta terça-feira (13) de um debate, videoconferência, com congressistas, o ministro Wagner Rosário, da Controladoria Geral da União (CGU), manifestou apoio a uma sugestão apresentada pela senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) para criação de um cadastro único digital a fim de evitar fraudes, mas afirmou que parte do problema se deve à má-fé de pessoas. 

Leia mais:
Ministro da CGU defende produção de cloroquina e diz que uso do remédio é decisão individual de cada paciente do covid-19

“O cadastro único facilitaria muito. Nós temos programas em que a base é o CPF e outros em que a base é o NIS. Então, a gente tem de ter uma identificação única, o que facilitaria bastante. Mas também temos um problema que não é de controle do Estado, mas é a má-fé. As pessoas fraudam. Vou dar um exemplo para a senhora. A norma fala sobre rendimentos tributáveis. Pessoas que receberam acima de R$28 mil anuais em rendimentos tributáveis não fazem jus ao programa. E quem recebe rendimento não tributável, como algumas pessoas, como empresários? Isso não está na norma. Essa é uma questão de a pessoa ter a noção exata de que ela não faz jus ao programa não legalmente, mas moralmente”, avaliou ministro.

(Agência Senado)



“Se tiver grandeza moral ele tem que se retratar”, diz Mourão sobre críticas de Gilmar Mendes ao Exército

Mourão diz que Brasil tem que ser solução, não problema | Agência ...O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) repudiou nesta terça-feira (14) as declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes após o magistrado associar o Exército à prática de genocídio.

“Se tiver grandeza moral ele tem que se retratar. Eu não vi interferência [do ministro], vi o cidadão Gilmar Mendes fazer uma crítica fora de propósito”, afirmou o vice-presidente em entrevista à emissora CNN Brasil. “A crítica do ministro Gilmar Mendes é feita de Portugal, gostaria que ele viesse para cá para fazer as críticas aqui”

Em um debate no sábado (11), Gilmar disse que não é “aceitável” a ocupação de cargos no Ministério da Saúde por militares durante a pandemia de COVID-19, que já custou a vida de mais de 72 mil pessoas no Brasil. “É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável. É preciso pôr fim a isso”, pontuou o magistrado do Supremo.

O Ministério da Defesa afirmou que a afirmação de Gilmar foi “irresponsável” e “leviana” e prometeu encaminhar uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ministro do Supremo.

(Agência Sputnik)

O QUE ELES DISSERAM

Em entrevista para o Jornal O Estado do Maranhão, faço um alerta: São Luís tem no seu horizonte o risco de um candidato que encarne o espírito de Bolsonaro e o seu jeito de governar.

(Do deputado federal Rubens Júnior, pré-candidato pelo PCdoB, reconhecendo que o presidente Jair Bolsonaro pode influenciar na eleição do futuro prefeito de São Luís)

Busto de Josué Montello é retirado do Pantheon Maranhense, mas Prefeitura diz estar em lugar seguro

Programação celebra 100 anos de Josué Montello - ACADEMIA ...
Josué Montello é um dos homenageados no Pantheon Maranhense
Causou grande apreensão em boa parte da população de São Luís, o desaparecimento do busto do escritor Josué Montello do Pantheon Maranhense, em frente à Biblioteca Pública Benedito Leite, no Centro Histórico da capital maranhense.

Quem passou pelo local e não viu a peça do autor, dentre outros, de Os Tambores de São Luís, A Noite sobre Alcântara e Largo do Desterro, imaginou tratar-se de mais um ato de vandalismo a esse espaço público, que foi recentemente revitalizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Bustos estão de volta à Praça do Pantheon, em São Luís | O Imparcial
O Pantheon reúne bustos de intelectuais maranhenses
Em nota divulgada nesta terça-feira (14), porém, a Prefeitura de São Luís, por meio do seu Instituto de Paisagem Urbana (Impur), garante que o busto está em lugar seguro e que foi retirado do local porque corria risco de ser danificado, com uma possível queda, já que estava descolado.

Eis o comunicado:

NOTA
Retirada de busto da Praça Panteon

O Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur) informa que o busto do escritor Josué Montello foi retirado temporariamente da exposição pública, na noite desta segunda (13), na Praça do Panteon, após a Guarda Municipal identificar que a referida peça se encontrava solta, necessitando, portanto, de reforço para sua adequada fixação e, assim, evitar queda e a ocorrência de qualquer dano.

O busto encontra-se em local seguro e será recolocado nos próximos dias.

13 de jul. de 2020

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Se o índice de contaminação por covid-19 diminuiu, mas o número de mortes vem aumentando, isto significa dizer que quem pegou a doença e está internado corre risco de vida?

Hamilton Mourão debate nesta terça queimadas e Fundo Amazônia com senadores, por sugestão de Eliziane Gama

Eliziane Gama é autora da sugestão para depoimento do vice-presidente
O Senado vai realizar na próxima terça-feira (14), a partir das 16h, audiência por videoconferência com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Ele vai debater as ações do governo federal para enfrentar o desmatamento na Amazônia, além de responder a questionamentos dos senadores. O convite partiu dos senadores Eliziane Gama (Cidadania-MA) e Telmário Mota (Pros-RR).

Coordenadora da Frente Parlamentar Ambientalista no Senado, Eliziane quer que o governo explique o alto índice de desmatamento e os focos de incêndio na região. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as queimadas na Amazônia em junho atingiram o maior índice para o mês nos últimos 13 anos. A senadora acusa o Executivo de agir com “desleixo”.

“O Senado não pode silenciar num momento em que parte significativa do maior patrimônio natural do nosso país está sendo queimado”, disse ela, ao defender a aprovação do requerimento para a audiência com o vice-presidente”.

Mourão preside desde o início do ano o Conselho Nacional da Amazônia Legal, responsável pela gestão do Fundo Amazônia, que recebe investimentos de empresas e de outros países para ações de preservação da floresta.

(Agência Senado)