Pesquisa é para quem acredita nela e são muitas margens de interpretação

0
205

GIRO ECONÔMICO 

O que diz a pesquisa 

Os números da pesquisa Datafolha desta quinta-feira (22) apresentam cenários para todos os gostos, e o instituto estará com a imagem preservada, independentemente do resultado que vai brotar das urnas, pois tudo virá dentro de suas previsões.

Pelo resultado numérico, estando Lula com 47% e Bolsonaro com 33%, a diferença entre eles é de 14 pontos, mas vem a margem de erro, que é de 2 pontos para mais ou para menos, e aí começa a dança dos números.

Por essa margem de erro, Lula pode ter de 45% a 49% de intenções de votos, e Bolsonaro, de 31% a 35%, logo a diferença entre eles pode ser calculada de várias formas:

Além dos 14 pontos, ela pode ser ser de 12, resultado de 47 menos 35; 18 pontos (49 menos 31) ou 10 (45 menos 35).

Cada um se agarra ao cálculo que mais lhe agrada e constrói sua narrativa.

Ele bebe o quê?

O presidente Jair Bolsonaro ironizou a fala do ex-presidente Lula, que em entrevista ao programa do Ratinho, no SBT, que ao comentar o programa Casa Verde e Amarela criticou uma “obrigação” para que as moradias fossem nessas cores.

Bolsonaro chama o ex-presidente de Mula e inigualável que bebe muita água “batizada”, ou seja, cachaça:

“Mula acha que o programa Casa Verde e Amarela, que já entregou mais de 1,2 milhão de moradias às famílias humildes desde 2019, obriga as pessoas a pintarem suas casas de verde e amarelo. E ainda diz que é o povo do interior de São Paulo que é ignorante. É muita água batizada!”, disse ele, que postou o vídeo com a fala do adversário, com uma gargalhada.

Babaçu debatido na ONU

Nesta sexta-feira (23), a vice-presidente de Sustentabilidade da Vale, Malu Paiva, mediará o painel sobre iniciativas sociais para o desenvolvimento de comunidades vulneráveis, do 77º Science Summit UNGA, da ONU, em Nova York (EUA).

Como exemplo de iniciativa de apoio da Vale ao empreendedorismo feminino, Malu apresentará a história das quebradeiras de coco babaçu, ex-vendedoras da Estrada de Ferro Carajás que, hoje, integram o Rede Mulheres do Maranhão.

A iniciativa contribui com uma economia solidária em torno do babaçu com comercialização de diversos produtos como doces, mel, castanha de caju por meio de canais digitais e beneficiam mensalmente cerca de 240 mulheres, sendo 120 quebradeiras de coco.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui