BNDES, Banco do Nordeste, Basa, Caixa e Banco do Brasil lançam crédito para micro e pequenas empresas

0
96

Cerca de 120 empresários de micro, médias e pequenas empresas maranhenses assistiram semana passa à videoconferência “Acesso às Linhas de Crédito Emergenciais no Maranhão” com a participação de representantes do Banco do Brasil (BB), Caixa, Banco do Nordeste (BNB), Banco da Amazônia (Basa) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O evento foi organizado pela Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema).

A videoconferência, moderada pelo superintendente da Fiema, Cesar Miranda, contou com a  participação da economista e gerente do Departamento de Clientes e Relacionamento Institucional do BNDES, Fernanda Garavini, e de Hailton Fortes (Banco do Nordeste), Diego Lima (Banco da Amazônia), Silvia Leandra e Antonio Nayrton (Caixa Econômica) e Evandro Mendes e Fernando Queiroz (Banco do Brasil)., que apresentaram suas linhas de crédito e algumas soluções específicas para esse período de pandemia, entre elas, a prorrogação de parcelas, adiamento de boletos e crédito para folha de pagamento.

Dificuldades  – “Taxas de juros acima da Selic, exigências de garantias reais, não operacionalização das linhas de crédito do BNDES pelos bancos e o fato da folha de pagamento ser atrelada ao banco antes da pandemia, têm sido algumas dificuldades e dúvidas do empresariado”, destacou o superintendente da Fiema, Cesar Miranda.

O superintendente do Banco do Brasil no Maranhão, Evandro Mendes, destacou que o banco está trabalhando de forma intensa para sanar as dúvidas dos clientes. “Estamos com uma demanda muito grande, mas já firmamos uma parceria com o NAC/FIEMA para atender todos os empresários que porventura tiveram alguma dificuldade de acesso ao banco para tentar resolver essa situação!”.

O superintendente estadual do BNB, Hailton Fortes ressaltou que o banco expandiu suas linhas de crédito, principalmente com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e que o banco na contramão do mercado não exige mais garantias reais para linhas de crédito de até 100 mil reais.

“Estamos trabalhando com diversos decretos estaduais e federais que limitam a nossa ação, entretanto tivemos um aumento exponencial e sobrecarga nas demandas. Estamos simplificando medidas para melhorar o atendimento e atender a todas essas iniciativas dos empresários”, destacou Fortes.

O superintendente do Banco da Amazônia no Maranhão, Diego Lima, explicou que o BASA está se adaptando a essa nova realidade e lançando soluções específicas. “Esse momento é ímpar e sem precedentes onde precisamos ter a prioridade de fazer com que nossos clientes saiam dessa crise!”, destacou Lima que falou do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) Emergencial – COVID-19 que promove a recuperação e a preservação das atividades econômicas nos setores produtivos, industrial, comercial e de serviços, em municípios com estado de calamidade pública decretada na área de atuação do FNO, que compreende a região amazônica, incluindo o Maranhão.

Educação Financeira – A economista e gerente do Departamento de Clientes e Relacionamento Institucional do BNDES, Fernanda Garavini além de falar das linhas de crédito e do cartão BNDES ressaltou que é importante que o empresário chegue ao banco com o seu “dever de casa” bem feito.

“É fundamental que o empresário conheça as linhas de crédito, do banco dele e dos concorrentes, saiba de fato qual a sua necessidade. Tipo do uso do dinheiro, verifique se tem alguma restrição. Porque isso passa segurança ao gerente do banco na hora da solicitação do crédito”, enfatizou Garavini, que parabenizou a FIEMA pela realização do encontro virtual.

 

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação