Bolsonaro diz que Globo comemorou 100 mil mortes por covid-19 como final de Copa do Mundo

0
680

AQUILES EMIR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reagiu com indignação, neste domingo (09), à cobertura de sábado (08) do Jornal Nacional, principal programa jornalístico da Rede Globo, aos mais de 100 mil óbitos por covid-19 registrados no Brasil. Bolsonaro disse que a emissora desrespeitou a dor das famílias das vítimas e comemorou o número como fosse se final de Copa do Mundo.

O presidente insinuou ainda que a emissora sente saudades dos governos que destinavam volumosas verbas do orçamento da União para sustentá-la em vez de priorizar educação, saúde e outras obras essenciais aos mais pobres.p

No telejornal da Globo, os apresentadores William Bonner e Renata Vasconcelos lembraram que a Constituição Federal define a saúde como essencial, sendo dever das autoridades investirem para salvar vidas. Citaram que o presidente Jair Bolsonaro, ao contrário, não demonstra compromisso com o enfrentamento da pandemia de coronavirus.

A Globo destacou ttambém as falas do presidente quando comparou coronavirus a uma gripezinha, se ele fosse infectado; o dia que respondeu não ser coveiro para contar mortos; e a indagação “e dai?” quando perguntado sobre as mortes no país. Outra demonstração da falta de compromisso com a saúde dos brasileiros seria o fato de passadas 12 semanas da saída do segundo ministro, Nelson Teich, que era médico, assim como o antecessor Henrique Mandetta, mantém um general, Eduardo Pazuello, como interino.

Em sua conta no Twitter, Bolsonaro escreveu:

“De forma covarde e desrespeitosa aos 100 mil brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos”, escreveu o presidente.

Numa segunda postagem, o presidente mencionou que a emissora sente saudade dos governos que eram generosos com seu departamento comercial:

“Estão com saudades daqueles governantes que sempre os colocavam como prioridade ao fazer o Orçamento da União, mesmo sugando recursos da saúde e educação.

DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA🇧🇷”.)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação