Brasil condena lançamento de míssil balístico pela Coreia do Norte

0
961

O governo brasileiro condenou nesta quinta-feira (30), “com a maior veemência”, o lançamento de um míssil balístico pela República Popular Democrática da Coreia, a Coreia do Norte, realizado na última terça-feira (28).

“O lançamento viola as resoluções pertinentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas e constitui ato gravíssimo de desestabilização da segurança regional e internacional”, afirmou, em nota, o Ministério das Relações Exteriores.

No comunicado, o Brasil conclama o governo da Coreia do Norte a cumprir, “com a maior urgência”, as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas, a interromper a escalada de tensões e a contribuir ativamente para a retomada das negociações relativas à paz e à desnuclearização da península coreana.

Reação – A embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, disse que a Coreia do Norte será totalmente destruída se ocorrer uma guerra. Harley participou de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, nesta quarta-feira (29), depois que o governo norte-coreano lançou um míssil balístico intercontinental no mar japonês, no dia anterior.

“Nós nunca buscamos guerra com a Coreia do Norte e, ainda hoje, não a buscamos. Se ocorrer uma guerra, será por causa dos atos de agressão contínuos, como o que testemunhamos ontem”, disse Haley. A reunião foi convocada pelos Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.

Durante a reunião, os Estados Unidos pediram novas sanções contra a Coreia do Norte. A embaixadora Nikki Haley também solicitou que todos os países rompam relações com Pyongyang.

“Ninguém pode duvidar que o ditador da Coreia do Norte está se tornando mais agressivo em sua obsessão pelo poder nuclear”, disse.

(Agência Brasil)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação