Brasil conquista neste sábado duas medalhas de Ouro em Tóquio, na canoagem e no boxe

0
341
Isaquias Queiroz conquista o ouro na canoagem em Tóquio e já soma quatro pódios olímpicos (Miriam Jeske/COB)

Brasil passa a somar no total 18 medalhas conquistadas 

O Brasil conquistou mais duas Medalhas de Ouro nos Jogos Olímpicos de Tóiquio, na madrugada deste sábado (07). Isaquias Queiroz venceu a final da prova de canoagem velocidade e Herbert Conceição foi o campeão no boxe até 75 anos. Com essas conquistas, o Brasil passa a somar 18 medalhas, sendo seis de Ouro, quatro de Prata e oito de Bronze.

Isaquias entrou de vez na galeria dos maiores atletas olímpicos da história do Brasil. Esta foi sua quarta medalha olímpica, feito que o coloca atrás apenas dos velejadores Torben Grael e Robert Scheidt, com cinco láureas cada um, na lista dos maiores medalhistas do país na história olímpica. Isaquias agora integra o seleto grupo que já conta com Serginho, do vôlei, e Gustavo Borges, da natação, com quatro pódios.

O canoísta baiano de 27 anos dedicou a vitória ao seu falecido treinador, Jesus Mórlan, que o levou a ser o primeiro atleta brasileiro a conquistar três medalhas em uma mesma edição de Jogos, no Rio 2016.

“Muito feliz de poder ganhar essa medalha de ouro para o Brasil. Uma emoção muito grande, me dediquei muito desde 2016 até esse exato momento. A medalha no C2 não veio. Nosso objetivo era representar nosso querido treinador, Jesus Morlán, que faleceu em 2018 e conquistou nove medalhas, com essa de hoje, importantes na nossa carreira. Muito feliz de poder estar realizando esse sonho”, disse Isaquias.

Isaquias Queiroz conquista o ouro na canoagem em Tóquio e já soma quatro pódios olímpicos
Brasileiro entrou para o seleto grupo de multi-medalhistas ao vencer a prova do C1 1.000 neste sábado (Miriam Jeske/COB)

O brasileiro fez uma grande prova no Canal Sea Forest, na baía de Tóquio, e terminou com mais de um segundo de vantagem para o segundo colocado (4m04s408). A medalha de prata ficou com o chinês Hao Liu, com o tempo de 4m05s724, e o bronze, com Serghei Tarnovschi, da Moldávia, com 4m06s069. Isaquias também havia dominado a sua semifinal, chegando em primeiro, à frente de Serghei Tarnovschi, da Moldávia, de Conrad Scheibner, da Alemanha, e de Zheng Pengfei, da China.

O canoísta havia terminado a final do C2 1000m, na quarta-feira, 4, na quarta posição ao lado de Jacky Godmann. Depois da disputa, ele chorou, passou mal e decidiu que entraria na briga por medalhas no C1 1000m com disposição redobrada. Atleta do Flamengo, ele treina há sete anos em Lagoa Santa, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. Desde que Jesus morreu, no fim de 2018, os treinos são comandados por Lauro de Souza Júnior, o Pinda.

Boxe – A final olímpica da categoria até 75kg prometia ser um combate difícil para Hebert Conceição contra o campeão mundial de 2017 Oleksandr Khyzhniak. E o que se viu foi exatamente isso. O combate estava complicado para o brasileiro, com o ucraniano sendo mais agressivo desde o começo e conseguindo vencer os dois primeiros rounds.

Hebert nocauteia campeão mundial e conquista o ouro nos Jogos Tóquio 2020
Hebert nocauteia campeão mundial e conquista o ouro (Wander Roberto/COB)

A 1 minuto e meio do fim, no entanto, Hebert acertou um soco espetacular e derrubou o adversário, conquistando a medalha de ouro e repetindo o feito de Robson Conceição nos Jogos Rio 2016. A luta foi disputada na Arena Kokugikan, icônico local onde são disputadas lutas de sumô na capital japonesa.

Para chegar ao ouro olímpico, Hebert passou nas oitavas de final pelo chinês Tuohetaerbieke Tanglatihan, por 3 a 2, em decisão dividida dos árbitros. Nas quartas, enfrentou o cazaque Abilkhan Amankul, prata no Campeonato Mundial de 2017 e vice-campeão asiático, e passou por 3 a 2. Na semifinal, o adversário foi o russo Gleb Bakshi, campeão mundial de 2019, e novo triunfo verde-amarelo, dessa vez por 4 a 1.

Esta é a oitava medalha do boxe na história olímpica e a terceira nos Jogos de Tóquio. Agora a torcida é pela final da Bia Ferreira (até 60kg) no domingo, 8, às 14h do Japão (2h do Brasil) na busca pelo segundo ouro brasileiro no boxe em Tóquio 2020. Abner Teixeira já conquistou o bronze na categoria até 91kg. O boxe brasileiro deixará Tóquio com sua melhor campanha na história olímpica.
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação