Domingo de muito Sol e de praias lotadas, apesar da quarentena pela pandemia de covid-19

0
747
Praia do Flamengo na zona sul do Rio de Janeiro

Banhistas desrespeitam recomendação e ocupam areias

O feriado prolongado de 07 de Setembro (nesta segunda-feira), aliado ao tempo bom e ensolarado, lotou as praias da zona sul do Rio de Janeiro e movimentou o setor hoteleiro, que foi um dos mais afetados desde o início da pandemia na cidade. O desrespeito ao distanciamento social foi percebida em praticamente todas as cidades litorâneas neste domingo (06).

Em São Luís, houve muito movimento de banhistas nas praias de Calhau, São Marcos Ponta dareis, Araçagi, Praia do Meio e outras. O comportamento das pessoas nas diversas regiões do país levanta uma preocupação das autoridades, pois mostra que não há mais temor do covid-19, apesar de o país ainda estar em quarentena.

“Feriadão é sinônimo de descanso e não de desleixo com os cuidados contra a covid-19. Protejam-se!”, apelou o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula.

Praias de São Luís receberam grande público neste domingo

No Rio de Janeiro (RJ), as areias de Ipanema e Copacabana e do Aterro do Flamengo receberam milhares de banhistas, entre cariocas e turistas, provocando aglomeração e desrespeitando uma das regras de ouro da prevenção à pandemia de covid-19.

Enquanto nos calçadões era grande o número de pessoas fazendo o uso de máscaras, nas areias era raro quem estava usando o equipamento de proteção facial. Os banhistas ficavam na areia e usavam guarda-sóis e cadeiras de praia, que não estão liberados pela prefeitura do Rio. O decreto do prefeito Marcelo Crivella autoriza apenas o banho de mar, e não a permanência na areia.

O grande fluxo de visitantes por conta do feriadão da Independência ajudou a movimentar os hotéis, principalmente os localizados na zona sul. Segundo o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro (Hotéis Rio), a média de ocupação está em 46%.

As regiões de Ipanema-Leblon e Leme-Copacabana estão em média com 59% de ocupação. Em seguida, aparecem as regiões de Flamengo e Botafogo, com 42%, do centro, com 33%, e a da Barra da Tijuca e São Conrado, com 31%.

(Agência Brasil com foto de Tânia Rêgo)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação