Advogados de Lula e de Bolsonaro são alvos de operação da PF na Fecomércio do Rio de Janeiro

0
1059

Operação é baseada em uma delação premiada de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio

Foi deflagrada, nesta quarta-feira (09), pelo Polícia Federal, a operação E$quema S, que é desmembramento da Lava Jato, para investigar possível desvio de R$ 355 milhões do Sistema S, sendo que pelo menos R$ 151 milhões foram do Sistema Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ por escritórios de advocacia.

São alvos da operação: Frederick Wassef, que representou a família do presidente Jair Bolsonaro; Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente Lula; Ana Tereza Basílio, defesa do governador afastado Wilson Witzel. Lula, Witzel e Martins não são investigados nesta operação.

Reaação– Lideres do Partido dos Trabalhadores condenaram a operação espetaculosa realizada pela Polícia Federal nesta quarta-feira, 9 de setembro, em escritório de advogados, autorizada pelo juiz federal Marcelo Breta, a pedido da força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro. A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), denunciou a ação da PF como retaliação contra o advogado Cristiano Zanin Martins, que atua na defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele e o sócio, Ricardo Teixeira Martins, foram alvo da ação da PF, em ação autorizada pela Justiça Federal por pressão da Lava Jato.

“É gravíssima a decisão da Lava Jato de invadir a casa e o escritório do advogado que denunciou crimes e abusos de poder cometidos pela operação”, alertou Gleisi. “Usam instrumentos da Justiça para fazer retaliação política. É com violência desse tipo que se destrói o Estado de Direito”, condenou a parlamentar. Outros líderes petistas também denunciaram que Zanin sofre uma retaliação por parte da Lava Jato. Em nota divulgada nesta quarta-feira, o advogado acusou Bretas de atuar em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, com quem mantém ligação estreita.

A PF alega que a operação de busca e apreensão no escritório e na casa de Zanin, assim como de outros 25 advogados, teria como objetivo investigar um suposto esquema de tráfico de influência no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Tribunal de Contas da União (TCU). Os advogados teriam atuado ainda para desviar recursos milionários da Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio) e de entidades do Sistema S.

Zanin nega veementemente a acusação. Ele divulgou nota denunciando a ação espetaculosa da PF e acusando Bretas de tentar intimidá-lo.

Eis quem são os 26 investigados que viraram réus:

  • Adriana Ancelmo – advogada e sócia do escritório Ancelmo Advogados;
  • Ana Tereza Basílio – advogada e sócia do escritório Basilio, Di Marino e Faria Advogados Associados (atual Basilio, Di Marino e Notini Advogados Associados);
  • Antônio Augusto de Souza Coelho – advogado e sócio do escritório Advocacia Gonçalves Coelho;
  • Caio Cesar Vieira Rocha – advogado e sócio do escritório Cesar Asfor Rocha Sociedade de Advogados;
  • Cristiano Zanin Martins – advogado e sócio do escritório Teixeira, Martins & Advogados;
  • Daniel Beltrão de Rossiter Correa – advogado e sócio do escritório Rossiter Advocacia;
  • Edgar Hermellino Leite Júnior – advogado e sócio do escritório do Edgard Leite Advogados Associados;
  • Eduardo Filipe Alves Martins – advogado e sócio do Escritório de Advocacia Martins;
  • Eurico de Jesus Teles Neto – advogado e sócio do Eurico Teles Advocacia Empresarial;
  • Fernando Lopes Hargreaves – advogado e sócio do Hargreaves & Advogados Associados;
  • Flávio Diz Zveiter – advogado e sócio do Escritório de Advocacia Zveiter;
  • Francisco Cesar Asfor Rocha – advogado e sócio do Cesar Asfor Rocha Sociedade de Advogados;
  • Hermann de Almeida Melo – advogado e sócio do escritório Almeida & Teixeira Advogados Associados;
  • Jamilson Santos de Farias – advogado e sócio do escritório Farias Advogados Associados;
  • João Cândido Ferreira Leão – advogado e sócio do escritório Ferreira Leão Advogados Associados;
  • José Roberto de Albuquerque Sampaio – advogado e sócio do escritório José Roberto Sampaio Sociedade de Advogados;
  • Leonardo Henrique Magalhães de Oliveira – advogado e sócio do escritório Leonardo Henrique Magalhães Oliveira Advogados (LH Oliveira Advogados);
  • Marcelo Henrique de Oliveira – advogado e sócio do escritório Oliveira & Brauner (Oliveira Advogados Associados);
  • Marcelo José Salles de Almeida – advogado e ex-diretor regional do Sesc e do Sena Rio;
  • Marcelo Rossi Nobre – advogado e sócio do escritório Marcelo Nobre Sociedade Individual de Advocacia;
  • Orlando Santos Diniz – colaborador, advogado e ex-presidente da Fecomércio/RJ e do Sesc e do Senac Rio;
  • Roberto Teixeira – advogado e sócio do escritório Teixeira, Martins & Advogados;
  • Sérgio Cabral – ex-governador do Rio;
  • Tiago Cedraz Leite Oliveira – advogado e sócio do escritório Oliveira, Moares & Silva Advogados;
  • Vladimir Spíndola Silva – advogado e sócio do Silva Advogado – Sociedade Individual de Advocacia.

(Com informações do PT e Poder360)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação