Carlos Lula se oferece para mediar entendimento para Coronavac ser aceita no Ministério da Saúde

1
483

Secretário da Saúde do Maranhão, que preside Conass, participou de coletiva com governador de São Paulo

O secretário estadual de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, que preside o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), se prontificou a mediar um entendimento entre o Governo de São Paulo é o Ministério da Saúde para pôr fim ao impasse em torno da Coronavac, segundo informação da CNN Brasil. A vacina chinesa ainda depende de aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que aguarda seu pedido de registro.

Carlos Lula participou nesta segunda-feira (14) da tradicional coletiva do governador João Doria (PSDB), em que foi anunciado o adiamento, para dia 23 de dezembro, dos estudos sobre a eficácia da vacina chinesa, que deverá ter seu registro definitivo na China, o que abriria caminho para seu reconhecimento pela Anvisa, como determina a legislação brasileira.

Carlos Lula lembrou que durante anos o Brasil deu exemplo ao mundo de como se deve fazer uma campanha de imunização.  “Não é possível que, neste momento de enfrentamento da pandemia, a gente vacile”, disse ele..

Para o presidente do Conass, “há necessidade de se incorporar ao Plano Nacional de Imunização todas as vacinas consideradas eficazes e seguras. Mas mais do que incorporar, a gente, no contexto pandêmico, tem que entender que é preciso velocidade e agilidade”.

Ainda de acordo com entendimento do secretário de Saúde do Maranhão e presidente do Conass, é preciso que janeiro seja declarado como prazo ideal para se começar a vacinação de toda a população brasileira, como pretende o governador paulista, e não março, como chegou a estimar o governo federal, embora este prazo agora esteja condicionado ao reconhecimento de uma vacina pela Anvisa.. 

O secretário acha que pode atuar como mediador de uma negociação com o Ministério da Saúde para que a Coronavac seja incluída na lista de imunizantes que serão aplicados no Brasil.

“O Conass se coloca também como mediador para qualquer tipo de divergência que haja entre o governo de São Paulo e o Ministério da Saúde para que possamos o quanto antes iniciar a imunização de todos”, afirmou.

Estudos – Na entrevista, O governador João Doria afirmou nesta que o Instituto Butantan concluirá esta semana a fase 3 dos estudos da Coronavac e pedirá o registro do imunizante à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na quarta-feira (23).

(Com informações da CNN Brasil)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

1 COMENTÁRIO

  1. Eu não consigo entender, quanto a esse negócio da China. Ou melhor; pra China. Se essa vachina e bem mais cara, é si tética; não temos nem ideia dos efeitos que ela causaria em nós e nas próximas gerações. Qual o inderesse desenfreado por um troço desse!?

Comments are closed.