Caixa d´água se rompe no Condomínio Gran Village 2 no bairro do Turu e causa prejuízos a seus moradores

2
1909

Água danifica paredes, lajes, móveis planejados etc

AQUILES EMIR

O rompimento, na madrugada desta sexta-feira (13), de uma das caixas d´água que abastecem o Bloco 2 do Condomínio Gran Village Brasil 2, localizado na Avenida General Arthur Carvalho, o bairro do Turu, provocou inundação da área comum e dos apartamentos, causando graves prejuízos aos moradores. A construção é de responsabilidade da Canopus Engenharia.

Segundo relatos de moradores, a caixa não suportou a pressão da água e rachou, provocando inundações pelas escadas e tetos das moradias, infiltrações de paredes, com o vazamento da água.

Além do desconforto, muitos tiveram móveis danificados e as moradias estão carecendo agora de reparos, já que a infiltração causou estragos em paredes, lajes, tubulações por onde passam as fiações de energia, internet, televisão etc.

Como boa parte dos apartamentos é equipada com móveis planejados, muitos moradores estão com armários de quarto e cozinha, bem como assentos, danificados, bem como portas empenadas.

O diretor técnico da Canopus Construções, Brenno Santiago, informou que a empresa já está providenciando reparos nos apartamentos danificados pelo rompimento de uma caixa d´água no Gran Village 2, localizado na Avenida Arthur Carvalho, no bairro do Turu, em São Luís. Segundo ele, a empresa acionou o fabricante do equipamento para justificar o rompimento, já que foi instalado dentro de todas as normas técnicas.

Prejuízos – “Há ainda riscos de choque elétrico, devido a concentração de água com a fiação elétrica. e causando um grande risco de choque devido o contato com a parte de iluminação e tomadas, sendo que em alguns casos, a água jorrava pela lâmpada, causando uma verdadeira madrugada de terror nos moradores do local”, relata uma moradora.

A Perícia esteve no local e constatou uma situação que os moradores já suspeitavam: a caixa d´água, provavelmente, era recondicionada, ou seja, teria sido reaproveitada de uma outra obra.

Os peritos vão solicitar, da construtora, laudos e comprovantes de compras das caixas novas a fim de dar uma resposta mais segura aos moradores que até o momento não obtiveram nenhum retorno da construtora.

A reivindicação agora é para que a Canopus faça todos os reparos e providencie a transferência dos prejudicados para um local de hospedagem segura (hotel, pousada ou flat) até a conclusão dos serviços de reparo das suas moradias.

O site entrou em contato com a Canopus, mas até o momento não obteve uma posição sobre o ocorrido.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.