Câmara Municipal homenageia Fiema pelos seus cinquenta anos

0
624

A Câmara Municipal de São Luís prestou, quinta-feira (25), homenagem à Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema) pelos serviços prestados à sociedade ludovicense, em especial a classe empresarial na defesa de políticas públicas para a indústria, ao longo dos últimos 50 anos, celebrados em novembro do ano passado. A proposição foi do vereador Pavão Filho (PDT).

O presidente da entidade, Edilson Baldez das Neves, e os fundadores em atividade da federação, Carlos Gaspar e Jorge Mendes (conselheiro emérito da entidade), receberam certificados de honra,

Pavão Filho destacou a importância da atuação da FIEMA. “A Câmara de São Luís representa mais de um milhão de habitantes e nosso compromisso é com a qualidade de vida da população. Homenagear é reconhecer o papel que a FIEMA tem e os empresários que impulsionam, por meio da geração de emprego e renda esse desenvolvimento. A Câmara com muita justiça presta essa homenagem a FIEMA!”, disse o vereador que teve sua indicação aprovada por unanimidade.

Carlos Gaspar ressaltou que esse é um momento ímpar na sua vida empresarial de mais de 60 anos. “Estou praticamente com 80 anos e me orgulho de ter participado com outros empresários do esforço da retomada da carta sindical da Fiema, uma instituição de alta responsabilidade e respeitabilidade!”, destacou o empresário.

Para o conselheiro emérito Jorge Mendes, que é ex-presidente da entidade, essa honraria lembra com saudade o trabalho do seu pai Bento Mendes. “É motivo de orgulho para esse caboclo do interior, nascido em Penalva. Conseguimos reerguer a nossa Casa que luta há 50 anos pela Indústria do Maranhão!”.

“Esse é o reconhecimento pelo trabalho que a Fiema sempre teve em prol do desenvolvimento do Maranhão e da indústria. Ficamos felizes em sentir esse reconhecimento por parte da Câmara que reflete a sociedade como um todo!”, destacou o presidente da Fiema, Edilson Baldez.

História – A primeira Federação das Indústrias do Estado do Maranhão foi fundada em 1954 com objetivo de proteger e defender os interesses da classe industrial, mas foi extinta em 1965 quando o governo militar cassou a carta sindical dela.

Em 1968, um grupo de empresários se organizou para restaurar a federação, que passou a integrar os Departamentos Regionais do Serviço Social da Indústria (Sesi); do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

(Com informações da Fiema e foto de Veruska Oliveira)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação