Celso Gonçalo é homenageado nacionalmente com medalha da CNI

19

Solenidade foi realizada em Brasília, nesta terça-feira

Por indicação da Federação das Indústrias no Estado do Maranhão (Fiema), o engenheiro e empresário da construção civil Celso Gonçalo de Sousa foi condecorado, terça-feira (28), com a medalha e o diploma da Ordem do Mérito Industrial 2024, concedidos pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A solenidade da outorga foi realizada na sede da Confederação, em Brasília, e liderada pelo presidente da CNI e grão-mestre da Ordem, Ricardo Alban.

A Ordem é a mais importante honraria concedida pela indústria brasileira às pessoas que contribuem para o fortalecimento do setor produtivo no país e é destinado a personalidades e instituições pelo trabalho realizado para o desenvolvimento econômico e social do setor.

Apenas doze empresários de destaque para a indústria brasileira receberam a homenagem na CNI este ano. Entre eles, o vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin; o ministro da Casa Civil da Presidência da República, Rui Costa; e o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante. Além de Gonçalo, os empresários Amaro Sales de Araújo, José Conrado Azevedo Santos, José Maria da Costa Mendonça, Merval Neres dos Santos Filho, Gilberto Petry e Gilberto Ribeiro também foram agraciados.

“Fico muito emocionado por esta homenagem no mês da indústria, não haveria data mais oportuna para receber essa honraria da CNI. Agradeço à Fiems pela indicação, à minha família e a todos os que atuam pelo desenvolvimento e competitividade da indústria e das empresas do Maranhão”, ressaltou Gonçalo.

Participaram da cerimônia, em Brasília, o ministro das Comunicações, Juscelino Filho; o governador do estado de Roraima, Antônio Denarium; o presidente do TCU, ministro Bruno Dantas; o Chanceler da Ordem, Sandro Mabel; além de empresários e convidados.

Na comitiva do Maranhão, estiveram presentes o presidente da Fiema e 2º diretor secretário da CNI, Edilson Baldez; o 1º vice-presidente da instituição, Francisco de Sales Alencar, bem como o vice-presidente executivo da Fábio Nahuz; o presidente do TRE-MA, Desembargador José Gonçalo; e familiares do homenageado.

O presidente em exercício da Fiema Francisco de Sales Alencar, destacou a importância da atuação do empresário para o desenvolvimento da indústria do Maranhão.

“O Celso trabalha arduamente como empresário industrial nesse estado e, também, à frente do SEBRAE. Temos muito orgulho de tê-lo no ramo da indústria e contar com ele nas articulações para o desenvolvimento das nossas empresas”, reforçou Sales Alencar.

Nascido em Pastos Bons, o engenheiro civil, empresário e líder empresarial Celso Gonçalo de Sousa é presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Maranhão (CDE-MA) e lidera a instituição no quadriênio 2023-2026. Celso é empresário da indústria da construção civil e acumula a função de vice-presidente executivo da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA).
Declaração pela reindustrialização  – Durante a cerimônia da Outorga da Ordem do Mérito Industrial, o presidente da CNI, Ricardo Alban, entregou às autoridades presentes a “Declaração pelo Desenvolvimento da Indústria e do Brasil”, documento que propõe dez princípios orientadores para impulsionar a agenda nacional de desenvolvimento. Assinam a publicação a CNI, as federações das indústrias de todo o Brasil e 74 associações industriais.
A declaração conjunta pela reindustrialização afirma que a indústria continua a ser um setor estratégico, com atuação decisiva para impulsionar a economia e fortalecer as cadeias de valor, pelo papel central no desenvolvimento tecnológico, na criação de empregos de qualidade e na produção de riqueza.
Na publicação, CNI, federações e associações destacam que o parque industrial brasileiro é diverso, integrado e capaz de acelerar um novo ciclo de desenvolvimento econômico e social mais sustentável e inclusivo. Além disso, os recursos naturais do Brasil, juntamente com os ativos em energia renovável, colocam o país em posição privilegiada liderar o novo paradigma de descarbonização e economia verde. Os industriais lembram que as economias avançadas têm realizado investimentos maciços em suas indústrias nacionais para permanecer na vanguarda tecnológica e consolidar uma liderança no mercado internacional.
A Declaração pelo Desenvolvimento da Indústria e do Brasil foi entregue ao vice-presidente da República e ministro do MDIC, Geraldo Alckimin, ao ministro da Casa Civil, Rui Costa, ao ministro das Comunicações, Juscelino Filho, ao presidente do TCU, ministro Bruno Dantas, e ao presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.
CONHEÇA OS DEZ PRINCÍPIOS
1. Nova Indústria Brasil (NIB) como centro da agenda nacional de desenvolvimento
2. Recursos em quantidade e a custo competitivo nos financiamentos do Plano Mais Produção
3. Sistema tributário moderno e eficiente
4. Menor custo de capital para garantir competitividade
5. Inovação industrial para a transformação digital e a transição energética
6. Descarbonização e powershoring
7. Energia e transportes mais baratos e eficientes
8. Inserção internacional pragmática
9. Recursos humanos capacitados para a nova economia
10. Qualidade regulatória
AGRACIADOS COM A MEDALHA DA ORDEM DO MÉRITO INDUSTRIAL
Geraldo Alckmin, vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços;
Rui Costa dos Santos, ministro da Casa Civil
Antônio Olivério Garcia de Almeida, empresário e governador do estado de Roraima;
Gilberto Porcello Petry, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul;
Amaro Sales de Araújo, empresário e vice-presidente da CNI;
Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, empresário e presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro;
Merval Neres dos Santos Filho, diretor-presidente do grupo Laticínio Longá;
José Maria da Costa Mendonça, presidente do Conselho Temático de Infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado do Pará;
Celso Gonçalo de Sousa, empresário, vice-presidente executivo da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), presidente do Conselho Temático de Micro e Pequenas Empresas da FIEMA e presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE-MA
Aloizio Mercadante Oliva, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES);
José Conrado Azevedo Santos, ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Pará;
Gilberto Ribeiro, empresário e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui