Uma chapa verde-oliva: Jair Bolsonaro escolhe general Mourão para vice

0
799

O PRTB anunciou neste domingo (05) apoio ao candidato do PSL à Presidência da República, deputado Jair Bolsonaro, e indicou o general da reserva Hamilton Mourão para compor a chapa como vice-presidente. Na convenção do partido, realizada na tarde de hoje na capital paulista, o presidente do PRTB, Levy Fidelix, anunciou a retirada de sua candidatura para compor a aliança nacional com Bolsonaro.

Jair Bolsonaro, que é capitão da reserva, participou da convenção do PRTB, ao lado do general Mourão. Em discurso, Mourão disse que aceitou o convite de Bolsonaro como cumprimento de missão e espírito de dever.

“Para defesa dos nossos valores, da integridade do nosso território, do nosso patrimônio e de uma verdadeira democracia, onde haja oportunidade para todos e todos ascendam por seus próprios méritos, e não por esmolas”, afirmou Mourão.

O general acrescentou que pretende integrar um “governo austero, honesto, sem corrupção, com eficiência gerencial e com relacionamento republicano com os demais poderes, sem um balcão de negócios”.

General Mourão
Hamilton Mourão é o companheiro de chapa de Jair Bolsonaro – Luiz Chaves/Palácio Piratini/Direitos Reservados
Após o discurso do general, Bolsonaro disse que, a partir daquele momento, deixava de ser capitão e seu candidato a vice, de ser general. “Nós passamos a ser, a partir de agora, soldados do nosso Brasil”, afirmou Bolsonaro.
“Temos uma enorme responsabilidade em mudar nosso Brasil. Não podemos mais ficar esperando qual facção vai continuará no poder.”

O general Antônio Hamilton Martins Mourão tem 64 anos, é natural de Porto Alegre e entrou no Exército em 1972, ficando na ativa até fevereiro deste ano.

Bolsonaro chega ao general após outros tentativas frustradas. Primeiro, ele outro general, Augusto Heleno; depois o pastor e senador Magno Malta; tentou ainda uma advogada, Janaín Paschoal, que assinou o pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff(PT); e até um herdeiro da família imperial foi sondado.

Na última sexta-feira (03), ao participar do programa Roda Viva, na Globo News, Bolsonaro disse que ainda aguardava uma resposta da advogada e caso ela não aceitasse seu plano B era o príncipe Luiz Orleans de Bragança, descendente de Dom Pedro II. Selada a chapa de militares, Bolsonaro disse que a partir de agora deixa sua patente de capitão e Moura, a de general, e ambos serão”soldados do Brasil”.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação