Ciro não declara apoio a Haddad e diz que cada um deve votar de acordo com sua consciência

0
1351

Ciro agradeceu ainda manifestações de apoio que tem recebido

AQUILES EMIR
O ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que foi candidato a presidente da República no primeiro turno, deu fim ao suspense sobre seu posicionamento no segundo turno, mas, ao contrário do que esperaVA o candidato do PT, Fernando Haddad, ele não declarou voto a seu favor nem recomendou aos seus eleitores que votem no petista. Ciro  fez uma transmissão pelo Facebook na tarde deste sábado, sinalizou em favor da democracia, “contra a intolerância e pelo pluralismo político”, e disse que cada um deve votar conforme sua consciência.
“Quero que Deus abençoe esta grande nação para que todo mundo possa caminhar amanhã para votar. Votar compreendendo a necessidade de votar com  a democracia, votar contra a intolerância, votar pelo pluralismo”. Ele afirmou ainda que “ninguém está obrigado a votar contra convicções e ideologias”.
O ex-candidato chegou a mencionar que muitos queriam que ele fizesse uma declaração a favor de um dos candidatos e deixou um mistério no ar ao dizer que não faria isto porque, se não pode ajudar, não gostaria de atrapalhar, prometendo justificar sua posição em outra oportunidade.
“Claro que todo mundo preferia que eu, com meu estilo, tomasse um lado e participasse da campanha. Não quero fazer isso por uma razão muito prática que eu não quero dizer agora. Porque se eu não posso ajudar, atrapalhar é que eu não quero”.
Sobre o tom misterioso de sua postura, acrescentou: “Tô cumprindo a obrigação que minha conscência me indica. Minha consciência me aponta um caminho em que a população brasileira possa ter uma referência para enfrentar os  dias terríveis que, eu imagino, estão se aproximando”.
Ciro agradeceu ainda as manifestações de apoio que tem recebido, afirmando que se sente “muito sensibilizado pelas manifestações de apoio, estimulo, carinho”. O ex-candidato informou ainda que está “energizado e, inteiro” para os próximos embates.
Deixando no ar a impressão de que Jair Bolsonaro, de quem discorda em muitos pontos de vista, deve ser o vencedor, manifestou preocupação com o País e o  “nosso futuro”, contudo advertiu que não é com queixas nem com lamentos “que vamos resolver isso”.
Sobre a postura a ser adotada após a eleição, o pedetista declarou que “a gente precisa, a partir de segunda-feira, é que a gente construa um grande movimento. Que, de um lado, proteja a democracia brasileira. Do outro lado, proteja nossa sociedade mais pobre dos avanços contra os direitos. Que se proteja os interesses nacionais contra a entrega e a cobiça estrangeira. Tudo isso está armado nesse debate”.
Ciro encorajou ainda os que seguem sua orientação. “Nada de medo. Não será com medo que nós vamos enfrentar o que quer que venha por aí e vocês sabem que eu estarei na linha de frente com todos vocês”.
(Com dados de O Povo)
Assista ao vídeo:

#aovivo

Publicado por Ciro Gomes em Sábado, 27 de outubro de 2018

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação