Com 1.018 mortes em mês de março, Maranhão chega a 6.070 vítimas fatais de coronavírus

0
388

Doença avança mesmo com restrições ao setor econômico 

AQUILES EMIR 

Quando a Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou,  na noite de Réveillon, o último boletim de 2020 sobre a covid-19, o Maranhão fechou o ano com 4.500 óbitos dos infectados pela doença. Nesta quarta-feira (31), ao divulgar o último boletim de março, o Maranhão aparece com 6.070 mortes, ou seja, 1.570 somente nos três primeiros meses de 2021.

No boletim de 31 de dezembro de 2020, o Maranhão tinha 200.938 registros de infectados, além dos 4,5 mil óbitos. No dia 31 de janeiro, o boletim indicava 207.488 testagens positivas e as mortes somavam 4.697, ou seja, 197 a mais do que no último dia do ano anterior.

No dia 28 de fevereiro, eram 219.307 registros de infecção e 5.052 vítimas fatais, 355 a mais. O Maranhão somava assim 552 mortes no ano, mas o pior estava por vir.

Assustado com a evolução dos casos, e temendo colapso na rede hospitalar, o Governo do  Estado decidiu restringir as atividades econômicas, com adoção de um novo horário comercial – 09h às 21h – na capital e nos demais municípios da Ilha (São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar), suspendeu os serviços de bares, restaurantes, shows e outros serviços, a fim de evitar aglomerações, mas nem assim conseguiu conter a pandemia.

Somente no mês de março, foram 23.094 casos, sendo 1.018 óbitos, o que dá uma média de 32,2 mortes por dia. As 1.570 mortes dos três meses dão uma média diária de 17,4.

Acompanhe os números divulgados pela SES nesta quarta-feira:

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação