Com 302 votos, Arthur Lira é eleito no primeiro turno para presidente da Câmara Federal

0
366

Presidente diz que tomará decisões com Colégio de Líderes

Com 302 votos, o deputado Arthur Lira (PP-AL) foi eleito presidente da Câmara dos Deputados em primeiro turno para o biênio 2021-2022. Como ele obteve a maioria absoluta (metade mais um) de votos dos presentes, não haverá um segundo turno.

Em segundo lugar, ficou o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), com 145 votos. Em seguida, aparecem Fábio Ramalho (MDB-MG), com 21 votos; Luiza Erundina (Psol-SP), com 16 votos; Marcel van Hattem (Novo-RS), com 13 votos; André Janones (Avante-MG), com 3 votos; Kim Kataguiri (DEM-SP), com 2 votos; e General Peternelli (PSL-SP), com 1 voto. Também foram registrados 2 votos em branco.

Em seu discurso antes da votação, Lira defendeu a previsibilidade na análise das propostas. Segundo ele, haverá reunião de líderes das bancadas às quintas-feiras a fim de elaborar a pauta, com a definição dos relatores, respeitada a proporcionalidade.

Ele afirmou que defenderá uma atuação coletiva nos trabalhos. “A Câmara dos Deputados tem de ser de todos, não pode ser do ‘eu’, tem de ser de nós”, afirmou.

Arthur Lira defendeu a previsibilidade na análise das propostas. Segundo ele, haverá reunião de líderes das bancadas às quintas-feiras a fim de elaborar a pauta, com a definição dos relatores, respeitada a proporcionalidade partidária.

“É preciso democratizar a presidência desta Casa, fortalecer as instâncias colegiadas e as comissões, ampliar a transparência e a isenção”, afirmou. “Quanto mais ritos, mais previsibilidade e menos surpresas”, continuou.

Segundo Arthur Lira, o conjunto de deputados em atividade representa cerca de 51,8 milhões de votos. “Se esses eleitores formassem um país, seria um dos 30 maiores do planeta”, comparou.

Por essa razão, continuou, não é possível que a presidência da Câmara acumule superpoderes. “A presidência não pode falar pela Casa”, avaliou, ressaltando que as principais decisões devem caber sempre ao Plenário.

“Quando um deputado atinge uma posição destacada [como a presidência da Câmara], é a esse deputado que cabe a posição de comandar a Casa, e é por isso que o presidente não vota, para não externar posições pessoais”, analisou.

No pronunciamento, Arthur Lira disse ainda que é necessário o cumprimento dos acordos. “A palavra precisa voltar a funcionar nesta Casa”, disse, ressaltando que ouvirá todos os parlamentares. “Ao presidente não cabe falar, mas sim ouvir”, afirmou.

Dos parlamentares que disputam nesta segunda-feira (1º) o cargo de presidente da Câmara, o deputado Arthur Lira foi o quinto a defender a candidatura, apoiada por bloco de 11 partidos. Ao final dos pronunciamentos será aberta a votação.

(Agência Câmara de Notícias)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação