Com 90% das obras civis concluídas, Eneva inicia montagem da Parnaíba V em Santo Antônio dos Lopes

0
2219
created by dji camera

Obra vai gerar 400 novas vagas nos próximos três meses

Com 90% das obras civis concluídas, a Eneva iniciou a fase de montagem mecânica da usina Parnaíba V, no Complexo Parnaíba, em Santo Antônio dos Lopes (MA). Atualmente, cerca de 1.800 profissionais atuam nas obras e 400 novas vagas serão abertas nos próximos três meses. A previsão é que, no pico, em janeiro do ano que vem, o número chegue a 2.100 profissionais trabalhando. As oportunidades são prioritariamente para profissionais do Médio Mearim.

A maior parte dos grandes equipamentos de Parnaíba V já foi entregue. Também todas as grandes bases civis e parte da estrutura das caldeiras de recuperação de vapor já foram instaladas, assim como os equipamentos da planta de tratamento de água. Está previsto para novembro o início da montagem da turbina e do gerador, que estão a caminho do Complexo Parnaíba.

Cabe ressaltar que as obras da usina estão seguindo um rigoroso protocolo de combate à Covid-19, considerando as recomendações dos órgãos oficiais de saúde nacionais e internacionais. Entre várias medidas adotadas, está a realização de testes periódicos para garantir que somente funcionários aptos trabalhem nos canteiros.

A usina Parnaíba V é o fechamento de ciclo da Parnaíba I e vai acrescentar mais 385 Megawatt (MW) à capacidade de geração de energia do Complexo Parnaíba. O investimento total no projeto é de R$ 1,3 bilhão e a operação está prevista para começar no segundo semestre de 2021.

Trata-se de um projeto de eficiência energética, já que o aumento da capacidade de geração de energia não vai consumir nenhuma molécula adicional de gás.

O fechamento de ciclo irá melhorar a eficiência da usina de Parnaíba I para até 58% sem aumentar o consumo de gás. A nova configuração da usina também permitirá a redução de emissões, quando comparadas ao modelo atual, graças ao potencial aumento da eficiência na geração da energia.

Por ser uma usina de ciclo combinado, a Parnaíba V vai utilizar o vapor gerado a partir do calor produzido no processo de geração da usina Parnaíba I, não necessitando de gás adicional. Na prática, esse modelo representa a geração de energia segura e mais barata para o Sistema Interligado Nacional (SIN).

Extração de gás garante geração de energia elétrica

Geração de emprego – Os interessados nas vagas que serão abertas nos próximos meses e no pico das obras podem enviar currículo para o e-mail  vagasparnaiba@techint.com.br  ou entregar no escritório da Techint (empresa contratada pela Eneva responsável pelas obras) em Santo Antônio dos Lopes (Rua Sete de Setembro, 40). As vagas ficarão em aberto até serem preenchidas

As oportunidades são prioritariamente para profissionais do Médio Mearim que querem atuar como montador industrial, maçariqueiro, mecânico ajustador e Rigger.  Há vagas ainda para eletricista montador, esmerilhador/lixador, pintor jatista, soldador de chaparia, soldador ER, soldador de máquinas semiautomáticas, soldador TIG e soldador TIG/ER.

Pioneirismo – O Complexo Parnaíba é um dos maiores parques de geração de energia térmica a gás natural do país. Pioneiro na utilização do modelo integrado Reservoir-to-Wire (R2W), o Complexo utiliza o gás natural produzido nos campos que estão situados nas suas proximidades. Conta com quatro usinas em funcionamento (Parnaíbas I, II, III e IV) e dois projetos de expansão (Parnaíba V e VI).

A energia gerada no Maranhão é distribuída por todo o Brasil por meio do SIN e atende casas, colégios, unidades de saúde, estabelecimentos comerciais e indústrias. Com 1,4 GW de capacidade instalada, a operação responde por 11% da geração térmica a gás do país.

Sobre a Eneva – Empresa brasileira integrada de energia, que une a atividade de exploração e produção de gás natural em terra à geração de energia. As operações da Eneva estão concentradas no Norte e Nordeste do país e contribuem para o aumento da segurança energética das regiões e para a modicidade tarifária. A companhia é responsável por 46% da capacidade instalada de geração térmica do subsistema Norte e 11% da capacidade instalada de geração a gás do país.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação