Com mais de 4 mil infectados no Maranhão, disponibilidade em UTI cai para dez leitos em São Luís

0
388

AQUILES EMIR

Com o anúncio, neste sábado (02), do aumento de infectados por coronavírus no Maranhão para 4.040, a disponibilidade de leitos de UTI, em São Luís, baixou para apenas 10 leitos, ou seja, 93,98% do total de 161. De acordo com o boletim da Secretaria de Saúde, dos casos confirmados, 2.876 continuam ativos, 927 se recuperaram e 237 morreram.

Ao fazer o anúncio, o secretário Carlos Lula comemorou o registro dos recuperados. “Já passamos dos 4 mil casos confirmados no #Maranhão e, graças a Deus e aos nossos profissionais, ultrapassamos 900 #recuperados Mais do que nunca, precisamos do apoio de vocês. #Fiqueemcasa e nos ajudem! Boletim completo no site da secretaria”, disse ele.

No interior do estado, a situação é menos traumática, pois dos 81 leitos existentes, apenas 16 estão ocupados, ou seja, 65 disponíveis, o que corresponde a 19,75% ocupados.

Quantos aos leitos clínicos, dos 351 na capital, 245 estão ocupados, isto é, há uma disponibilidade de 105, o que corresponde a 69,8% ocupados, enquanto no interior, dos 168, apenas 21 estão ocupados, ou sejas, apenas 12,5%

Imagem

Em nível nacional, segundo o Ministério da Saúde são 96.559 casos confirmados da doença e 6.750 mortes foram registradas. A taxa de letalidade está em 7%. Nas últimas 24 horas, o ministério registrou 4.970 novos casos e 421 mortes.

 

Segundo o Ministério da Saúde, há 40.937 pacientes recuperados, o que corresponde a 42,4% dos casos. Existem ainda 1.330 mortes em investigação. Essas duas estimativas, de acordo com a pasta, estão sujeitas a revisão.

O estado de São Paulo lidera as estatísticas, com 31.174 casos e 2.586 mortes. O Rio de Janeiro vem em segundo lugar, com 10.546 casos e 971 mortes. Em seguida, vêm Ceará, com 8.309 casos e 638 mortes; Pernambuco, com 8.145 casos e 628 mortes; e Amazonas, com 6.062 casos e 501 mortes.

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou situação de pandemia de coronavírus em todos os países. O termo é usado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

(Agência Brasil)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação