Concessão de BRs para iniciativa divide opiniões na Assembleia e cria expectativa sobre pedágio

0
431

AQUILES EMIR

O anúncio pelo Governo Federal sobre a realização, em 2022, de leilões para concessão de trechos das BRs 135 e 316 dentro do território maranhense divide opiniões na Assembleia Legislativa. Já para os usuários, a grande dúvida é saber como serão montadas as praças de pedágio para cobrança dos veículos que por ele trafegarem.

Pela lógica, o mais provável que sejam montadas praças na BR 135 em São Luís (na Estiva, bem na entrada e saída da Ilha); Miranda do Norte e Caxuxa, o que praticamente levaria a receber que trafega do Munin e Lençóis Maranhenses; Baixo Parnaíba; Baixada e região do Pindaré e dos Cocais.

Já a BR 316, teria praças em Caxuxa, Santa Inês e na divisa com o Pará. Essas posições permitiriam que a circulação continuasse gratuita na maioria das rodovias, havendo cobrança apenas quando caísse nas vias levam às capitais São Luís (MA), Teresina (PI) e Belém (PA).

Os trechos a serem cedidos à iniciativa privada são importantes corredores para exportação de grãos da fronteira agrícola do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

Opiniões – O primeiro a se levantar contra concessão foi o deputado Zé Inácio (PT). Em sua conta no Twitter, ele escreveu: “O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) aprovou hoje a privatização da BR 135/316, que é mais uma etapa do plano entreguista do governo Bolsonaro de privatizar bens públicos”.

Numa segunda postagem, disse o parlamentar petista: “a privatização da BR 135/316 implicará na cobrança de pedágio nas rodovias e vai gerar custos elevados a quem precisa se deslocar constantemente entre os municípios da região, sobretudo para a capital maranhense, já que a BR 135/316 é a única via de acesso terrestre a São Luís”.

Já o deputado César Pires (PV), que desde 2016 defende a transferência para a iniciativa de MAs, disse que recebeu a notícia “com muita alegria”. Ele está convencido de que a partir das privatizações, os maranhenses vão poder transitar por rodovias de qualidade, que garantam mais segurança e rapidez em suas viagens.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação