Convocado a depor, empresário Luciano Hang chama CPI da Pandemia de “Show de Horrores”

616

Empresário diz que contribuirá com trabalhos da comissão

Convocado a depor, como testemunha, na sessão da próxima quarta-feira (29) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga ações e omissões no enfrentamento da pandemia de covid-19, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, chamou, nesta quinta-feira (23), os trabalhos da comissão de “show de horrores”.

Nesta quinta, os senadores aprovaram a quebra de sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático do depoente Danilo Trento e de seu irmão Gustavo Trento.

Luciano Hang publicou ainda uma nota em que diz que recebe com serenidade a convocação e diz que contribuirá com os trabalhos da CPI.

Requerimento – A CPI aprovou requerimento para ouvir na próxima terça-feira (28) a advogada Bruna Morato. Ela representa os médicos da Prevent Senior que elaboraram um dossiê sobre irregularidades no tratamento de pacientes com covid-19.

Foi aprovado ainda requerimento do relator Renan Calheiros convocando o empresário Luciano Hang, que deverá ser ouvido na quarta-feira.

A CPI também aprovou requerimento de informações, encaminhado à Casa Civil, sobre o processo de solicitação de exoneração de Roberto Dias, ex-diretor do Ministério da Saúde. Em outubro de 2020, o então ministro Eduardo Pazuello enviou à Casa Civil, que era chefiada pelo ministro Braga Netto, uma solicitação de exoneração do servidor por indícios de irregularidade. No entanto, Dias foi mantido no cargo. Em junho deste ano, o policial militar Luiz Paulo Dominguetti denunciou um pedido de propina feito por Roberto Dias. O diretor teria cobrado um US$ 1 por dose da vacina AstraZeneca vendida ao Ministério da Saúde. Só então, Roberto Ferreira Dias foi demitido do cargo. Depois disso, a CPI levantou informações sobre a particip

Fonte: Agência Senado

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui