Coreia do Norte teria lançado mais dois mísseis nesta quinta-feira

0
312

O Exército sul-coreano informou que os dois projéteis lançados pela Coreia do Norte nessa quinta-feira (28) tiveram um intervalo de cerca de 30 segundos entre si. A Coreia do Norte lançou dois mísseis balísticos, da região perto de Yeonpo, na província de Hamgyong do Sul, em direção ao Mar do Japão.

Segundo relato da imprensa estatal norte-coreana, divulgado hoje (29), o país teria realizado um teste bem-sucedido de um “enorme sistema de lançamento múltiplo de foguetes”, sob a supervisão do líder Kim Jong Un.

A Coreia do Norte já havia lançado neste semestre dois mísseis balísticos de cada vez em três ocasiões, nos dias 24 de agosto, 10 de setembro e 31 de outubro, o que chamou de testes de sistemas enormes e múltiplos, parecidos com esse último.

Os intervalos de tempo entre o lançamento dos dois foguetes foram de 17 minutos, no dia 24 de agosto, 19 minutos, no dia 10 de setembro, e 3 minutos no dia 31 de outubro.

Isso leva os analistas a concluírem que a Coreia do Norte estaria se esforçando para aprimorar a habilidade no lançamento de mísseis em rápida sucessão.

A agência de notícias Yonhap, da Coreia do Sul, transmitiu o relato de alguns analistas que afirmam que Seul pode ter dificuldade em lidar com lançamentos a partir de plataformas móveis, se a Coreia do Norte conseguir lançá-los em rápida sucessão.

Pesquisa – Um grupo de pesquisa dos Estados Unidos (EUA) informou que imagens de satélite indicam que a Coreia do Norte continua realizando obras em seu complexo nuclear. A análise do Complexo de Nyongbyon foi divulgada quarta-feira (27).

Segundo os pesquisadores, imagens feitas em 29 de outubro exibem vários veículos nas instalações. Outras, de 14 de novembro, confirmam que obras foram realizadas em um edifício localizado perto do reator experimental de água leve.

Eles também disseram que um edifício alto está sendo construído nas proximidades do que aparenta ser uma instalação de pesquisa. O grupo acrescentou que não há indicações visíveis de operações no reator. Em cúpula realizada com os Estados Unidos, em fevereiro, a Coreia do Norte buscou obter a suspensão de sanções em troca do desmantelamento do Complexo de Nyongbyon.

O lado americano, no entanto, exigiu que todas as demais instalações nucleares existentes também fossem desmanteladas. O encontro terminou sem que nenhum acordo fosse fechado. Os dois países mantiveram ainda conversações sobre desnuclearização no mês passado, na Suécia. As autoridades envolvidas, porém, não conseguiram obter nenhum progresso.

(Agência Brasil com informação da NHK, emissora pública de televisão do Japão)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação