Curso online sobre Segurança Pública e inclusão social lançado pela UFMA

37

Curso para todos os públicos e aborda atendimento inclusivo

Profissionais e servidores dos órgãos da segurança pública envolvidos no atendimento à sociedade e demais interessados pela temática, já podem se inscrever no curso “Acessibilidade nas Delegacias Brasileiras e Atendimento às Mulheres e Meninas com Deficiências e Doenças Raras”. As inscrições podem ser realizadas através do link e o início é imediato.

A capacitação é fruto da articulação entre o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), por intermédio da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Coordenação-Geral de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em parceria com a Diretoria de Tecnologias na Educação da Universidade Federal do Maranhão – DTED/UFMA.

O objetivo é oferecer, nos serviços de segurança pública, assistência adequada à população feminina com deficiência e doenças raras, de modo a salvaguardar os direitos e as liberdades fundamentais dessa parcela da sociedade, aumentando a comunicação e a interação entre esse grupo e o agente público, sanando barreiras atitudinais e comunicacionais.

O curso é desenvolvido em um ambiente virtual inovador, com recursos de acessibilidade (como audiodescrição e tradução para Libras) e disponível também em versão para dispositivos móveis. Durante a jornada de aprendizagem, o aluno terá acesso a diversos objetos educacionais e estratégias de avaliação, sendo eles: PDF, infográfico interativo, vídeos, e-books entre outros.

Panorama da violência –  De acordo com dados divulgados pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos em 2019, foram registradas 12,9 mil denúncias de violações contra pessoas com deficiência. Além disso, em 2020 houve um aumento substancial de violência contra as mulheres no Brasil, em decorrência do isolamento social resultante da pandemia. Tais dados demonstram a importância de reformular as políticas públicas atuais e propor novas soluções para um maior acolhimento a essas mulheres, principalmente as com deficiência.

Constata-se ainda que os crimes de violência contra a população PcD os atingem de uma forma ainda mais crítica devido às dificuldades em realizar as denúncias e registrar as ocorrências nos órgãos competentes. Essas dificuldades nascem nos obstáculos urbanísticos, arquitetônicos, de comunicação e informação e, principalmente, nas barreiras atitudinais, que dizem respeito a comportamentos e práticas discriminatórias em relação à Pessoa com Deficiência.

Sobre o curso – Com carga horária de 30 horas, dividido em cinco módulos, o curso aborda uma gama de assuntos relacionados à história e aos direitos da população PcD, com destaque para a evolução do conceito de deficiência; direitos das Pessoas com Doenças Raras; marcos legais para acessibilidade; comportamento sociocultural de convivência e eliminação da discriminação em relação à deficiência; tecnologia assistiva e comunicação alternativa; perspectivas teóricas sobre estigmas e vulnerabilidade; a diversidade das pessoas com deficiências e com doenças raras. Formas de violência contra a mulher e acionamento da rede de proteção.

Certificação – O aluno poderá emitir a sua certificação caso obtenha nota final maior ou igual a 70.0 (setenta) após o somatório de todas as atividades avaliativas disponíveis no “mapa de recursos”. Também deverá concluir o Questionário de Avaliação do Curso, responder à situação-problema (pré e pós-teste) e navegar em todos os recursos educacionais disponíveis no AVA.

O certificado é gratuito, reconhecido pelo MEC e validado pela Universidade Federal do Maranhão.

Sobre a DTED – A Diretoria de Tecnologias na Educação (DTED/UFMA) é o setor responsável pela gestão da modalidade Educação a Distância na UFMA e reúne os programas Universidade Aberta do Brasil (UAB) e Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui